Em 7 anos, cai pela metade o número de Unidades Básicas de Saúde na V. Mariana

Publicado em Categorias Saúde, Vila MarianaTags ,

São apenas 4 unidades de básicas de saúde para 354 mil moradores.

Share this...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on Pinterest

Os nove meses no novo bairro não foram o bastante para Said Lacerda, 26, dar de cara com uma UBS (Unidade Básica de Saúde) por lá. Depois de deixar o Campo Limpo, na zona sul, para viver na Vila Clemente, bairro do distrito e subprefeitura da Vila Mariana, no centro-sul da cidade, Lacerda se deparou não somente com os altos preços dos imóveis, mas também com a ausência de postos de saúde. “Nenhuma vi nenhuma, na real”, diz o analista de qualidade em uma startup de saúde.

No caso de Lacerda, a ausência de UBSs não é uma mera casualidade. A Subprefeitura da Vila Mariana possui a menor quantidade de UBSs em toda a cidade. São apenas 4 unidades de básicas de saúde para 354 mil moradores. Estatisticamente, são somente 0,113 para cada 10 mil habitantes, de acordo com o Mapa da Desigualdade, que teve a sua nova versão lançada nesta quarta-feira (31).

A liderança da Vila Mariana no ranking, no entanto, não é recente. Ainda segundo os dados, a subprefeitura detém as menores taxas desde 2009. Nesse ano, eram nove postos na região. Em 2011, só haviam quatro — o mesmo índice atual. Se comparada à Subprefeitura de Parelheiros, no extremo sul da capital, são 10,41 a menos.

As outras duas subprefeituras que figuram entre as que têm menos UBSs são a Sé, no centro, com oito unidades em 2015 para 454 mil moradores, e Pinheiros, na zona oeste, com seis para 293 mil pessoas. Já no Campo Limpo, antigo endereço de Lacerda, existem 26 UBSs para 659 mil moradores.

“Aqui na Vila Mariana, eu acho que não tem tanto porque realmente a galera usa convênio ou médico particular mesmo”, afirma Lacerda. Realidade que o jovem garante ser avessa à sua..

A estimativa é que 80% da população possa ser atendida nas UBSs, sem que seja necessário ir ao um hospital. Nelas, é possível realizar consultas médicas, fazer curativos, tratar dos dentes, tomar vacinas e coletar exames laboratoriais. As UBSs também fornecem medicamentos básicos e encaminham os pacientes para especialidades, conforme o quadro clínico.

De acordo com o portal Planeja Sampa, das 43 novas Unidades Básicas de Saúde propostas para a atual gestão, conforme o atual Plano de Metas, apenas 14 delas já tiveram obras iniciadas e somente oito foram entregues. A UBS Integral Vila Mariana está somente com apenas 5% em andamento.

Procurada pelo 32xSP, a Prefeitura de São Paulo ainda não retornou até a finalização desta reportagem.

 

Foto: Cesar Brustolin/ SMCS