a
a
HomeTemasLazerMás condições do Parque do Trote, na Vila Guilherme, afastam os frequentadores

Más condições do Parque do Trote, na Vila Guilherme, afastam os frequentadores

Ainda no meio de uma crise de gestão, o Parque do Trote, na Vila Guilherme, zona norte, procura se reerguer e atrair novamente os frequentadores. Nos últimos meses, sem energia elétrica e com poucos funcionários para a manutenção, limpeza e segurança, o local teve o horário de funcionamento reduzido em quatro horas e meia, e a sujeira era visível nas áreas internas. O matagal tomou conta do setor central e os banheiros foram interditados. Na última semana, com o religamento da rede de energia, o parque voltou a funcionar, das 5h30 às 20h, e houve a reabertura parcial dos sanitários. A reportagem do 32xSP confirmou os problemas recentes e relata a insatisfação dos visitantes com o Parque da Vila Guilherme – Trote, o maior da região, com 185 mil m2 de área.

Em um domingo ensolarado de novembro, por volta das 18h, a pequena Giulia, 8, e as amiguinhas Mariana e Luma tiveram que sair do parquinho infantil às pressas. O pai da menina, o técnico Luiz Carlos Paz, 39, ficou revoltado: “Trouxe as crianças para aproveitar o horário de verão, mas fomos expulsos daqui”.  Ao seu lado, Maria Regina Rodrigues, a mãe de Giulia, também reclama: “Sem banheiro, minha filha teve que fazer xixi no meio do mato”.

parque-do-trote-4

A histórica arquibancada do Trote está tomada pelo mato

O presidente da Associação de Amigos do Parque, Beto Freire, 36, diz que a falta de sanitários “é humilhante, principalmente para os idosos”. Ele também comenta que a segurança continua a ser feita por “apenas três vigilantes” e que o conjunto de fatores negativos afastou os visitantes. “O parque chegou a receber cinco mil pessoas diariamente e o dobro nos finais de semana. Esse número caiu bastante”, avalia.

O treinador Anderson Bassi, 35, e a autônoma Janaína Severo, 39, concordam com a avaliação negativa. Moradores do Tremembé, eles procuram o local para a prática esportiva. “O parque tem uma ótima pista de corrida plana, de terra e grama, o que minimiza as lesões. É melhor do que o Horto Florestal. Sempre treinamos aqui, mas ouvi relatos de amigos sobre a falta de segurança e isso assusta”, afirma Bassi.

No Programa de Metas da Subprefeitura Vila Maria/Vila Guilherme, os prédios da antiga Sociedade Paulista de Trote, dentro da área do parque, deveriam ser restaurados e integrados a um novo plano paisagístico. Faltando poucos dias para o término da atual administração, o projeto atingiu apenas 20% da meta.

parque-do-trote-3

Os prédios históricos estão em processo de deterioração

Em estado de abandono e sem proteção adequada, as instalações históricas se deterioram e as antigas arquibancadas quase desaparecem no meio do mato. A decepção dos frequentadores do Parque do Trote não é um fato isolado. A edição 2016 do IRBEM – Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município, pesquisa do IBOPE Inteligência em parceria com a Rede Nossa São Paulo, apontou clara insatisfação dos paulistanos com o meio ambiente da cidade. Na avaliação de parques, áreas verdes, praças e várzeas, a nota média foi de 4,2, na escala até 10.

Em nota, a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) informou que a falta de energia decorreu de “uma pane no sistema elétrico, seguida de incêndio, que causou extenso dano à rede. Uma equipe técnica coordenou os trabalhos para que os reparos fossem feitos no menor prazo de tempo possível”.  Sobre as falhas na limpeza e a interdição dos banheiros, o órgão justifica que os contratos [com as empresas] estão sendo renegociados.

Para cuidar da área do parque, a secretaria afirma que a equipe de segurança é composta por seis vigilantes, divididos por um período de 24 horas, além de rondas de apoio da GCM. Também diz que o “projeto de restauro [dos prédios], acompanhado pela equipe técnica e aprovado no CONPRESP,  está em análise na Secretaria para ser executado com acompanhamento técnico do Departamento do Patrimônio Histórico”. De acordo com a SVMA, o parque funciona em horário estabelecido pelo Conselho Gestor.

 

Foto: Sidney Pereira

Nenhum comentário

Deixe um comentário.