Há anos a ausência de centros culturais afeta os moradores de Guaianazes

Publicado em Categorias Cultura, GuaianasesTags

Com uma população estimada em 107.171  mil pessoas, o distrito de Guaianazes é um dos mais populosos da zona leste. Apesar do alto número de habitantes, ele não possui nenhuma casa de cultura, de acordo com os dados do Observatório Cidadão. “Por várias vezes, tive que recorrer a outros lugares para conseguir promover alguma atividade ou…

Com uma população estimada em 107.171  mil pessoas, o distrito de Guaianazes é um dos mais populosos da zona leste. Apesar do alto número de habitantes, ele não possui nenhuma casa de cultura, de acordo com os dados do Observatório Cidadão. “Por várias vezes, tive que recorrer a outros lugares para conseguir promover alguma atividade ou participar de algo que eu queria”, afirma a estudante Daniele Lobato, 19, moradora do Lajeado, o distrito vizinho.

Contrariando os dados do Observatório Cidadão, que, neste caso, se utilizou das informações fornecidas pela Secretaria Municipal de Cultura, o site “SP Cultura”, criado pela própria secretaria para monitorar o cenário cultural da capital paulista, informa que Guaianases possui uma casa de cultura, na rua Professor Cosme Deodato Tadeu, 136. Porém, esse endereço faz parte de Lajeado..

A reportagem do 32xSP foi até o endereço indicado pela plataforma da prefeitura e descobriu que ele está incorreto. No local, há uma igreja evangélica. Segundo o Google Maps, serviço de mapas do Google, na localidade aparece um banner com anúncio de locação, mas contem uma pintura antiga, que indicava que ali já foi um centro cultural da região. Na relação de casas culturais das subprefeituras de São Paulo, o site oficial da Secretaria de Cultura não elenca a suposta casa de cultura de Guaianases.

Segundo o artista plástico Marcos Aparecido, 33, a demanda cultural da região é muito grande e não existem espaços que abram para as manifestações existentes. “Uma coisa que ninguém pode dizer é que aqui não tem atores, músicos de qualidade, artistas circenses ou cordelistas. Temos sim! O que falta, de fato, são espaços adequados para apresentações dessas pessoas, bem como outras necessidades”, relata.

Ainda de acordo com alguns artistas locais, vários coletivos chegaram a ser reunir algumas vezes para debater com representantes da subprefeitura – atual prefeitura regional – de Gualanases qual seria o lugar ideal para a construção desse espaço para um maior acesso da população. As últimas informações que chegaram vindas da administração local davam conta de que havia uma verba destinada à construção do ponto de cultura da região, mas até agora, nenhuma obra começou com este objetivo.

Na série histórica, Guaianazes permanece zerado no indicador de centros culturais, espaços e casas de cultura. Por conta disso, ocupa um dos últimos lugares do ranking geral dos distritos paulistanos, onde divide posição com Parelheiros, na zona sul, e com Ermelino Matarazzo, também na zona leste. Na outra ponta está a Sé, no centro, com nove espaços para cada 10 mil habitantes.

“Enquanto os espaços culturais não forem vistos com a mesma importância do arroz e feijão, não teremos uma vida digna para as pessoas daqui, afinal, cultura é essencial”, finaliza Aparecido.

Procurada, a Secretaria Municipal de Cultura não se manifestou até a conclusão desta reportagem.

 

Foto: Lucas Veloso