Itaquera é a região que teve menos metas cumpridas na gestão Fernando Haddad

Publicado em Categorias Itaquera, Meio AmbienteTags

Share this... De acordo com uma análise feita pelo pesquisador da Rede Nossa São Paulo, Américo Sampaio, a partir do site do Plano de Metas, administrado pela Secretaria Municipal de Planejamento, das 39 metas apontadas para a região de Itaquera, zona leste paulistana, na gestão do ex-prefeito Fernando Haddad (PT), somente 16 foram integralmente cumpridas…

Share this...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on Pinterest

De acordo com uma análise feita pelo pesquisador da Rede Nossa São Paulo, Américo Sampaio, a partir do site do Plano de Metas, administrado pela Secretaria Municipal de Planejamento, das 39 metas apontadas para a região de Itaquera, zona leste paulistana, na gestão do ex-prefeito Fernando Haddad (PT), somente 16 foram integralmente cumpridas e dentro do prazo. Dentre as 23 metas não cumpridas, o 32xSP visitou a que menos “andou” na região.

Com taxa de apenas 5% de cumprimento, a construção de uma sede definitiva para educação ambiental no Parque Natural Municipal Fazenda do Carmo, localizado na Estrada da Fazenda do Carmo, s/n, prevista na meta 86 chegou à metade da primeira parte da etapa de readequação do Parque, que está prevista em 10% do total do projeto. As outras etapas nem chegaram a iniciar: garantia da fonte de financiamento (10%), licitação das obras (10%), execução das obras de readequação (45%) e implantação da estrutura (25%).

Entretanto, a atual gestão da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente afirmou que esta meta não está paralisada.  “A sede definitiva é uma Compensação Ambiental do Metrô – Linha 15. Já foram encerradas todas as tratativas do projeto executivo, em 2016, e a construção está em processo de licitação pelo Metrô, com previsão para início em março de 2017 e término em 2018”, diz a nota enviada pela assessoria de imprensa do órgão.

Além da construção de uma sede definitiva, o Metrô também tem como compensação ambiental elaborar um projeto para construção do Centro de Educação Ambiental Tabor, no Parque Natural Municipal Fazenda do Carmo. O projeto básico está terminando, para posterior execução pela Prefeitura de São Paulo.

O PNM Fazenda do Carmo, considerado o maior remanescente de vegetação da zona leste, tem uma área de 448,65 hectares e está inserido na Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo, que é parte integrante da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, declarada pela UNESCO, em 1992. Destina-se à preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas  e  o  desenvolvimento  de  atividades  de  educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

Vista aérea do Parque Natural Municipal Fazenda do Carmo/ Crédito: Divulgação

A vegetação apresenta 507 espécies pertencentes a 81 famílias botânicas e está inserida no domínio  transicional  entre  Floresta  Ombrófila  Densa  e a Floresta Estacional Semidecidual, com maior riqueza de famílias típicas da fachada atlântica.

Na fauna encontra-se a presença de espécies nativas de Mata Atlântica, porém já foram  registradas também a  presença  de  espécies  exóticas  em  seu  interior.  Um total de 166 espécies foram catalogadas, sendo 11  répteis;  148  aves,  como   Cracidae  Jacuaçu  (Penelope Obscura) e o Psittacidae Papagaio Verdadeiro (Amazona Aestiva), consideradas “quase ameaçadas” de extinção pela lista de espécies ameaçada para São Paulo; e 7 mamíferos, como  a  Bradypus variegatus (Preguiça-de-Três-Dedos).

As principais via que circundam o Parque são: a avenida Aricanduva, avenida Ragueb Chohfi, avenida Jacu Pêssego, avenida John Speers, rua Malmequer do Campo, avenida Osvaldo Pucci e a avenida Afonso de Sampaio e Souza.

 

Foto principal: Vander Ramos