Nobre e privilegiado, V. Mariana é o mais desejado para comprar imóveis no país

Publicado em Categorias Vila MarianaTags

Janaína Bezerra, 26, viveu na Aclimação, no centro-sul da capital, por três anos, após deixar o bairro e mudar-se para o Jaguaré, na zona oeste. “Era amor, um bairro calmo, bastante arborizado e fácil acesso. Ia para a [rua] 25 de março a pé, além de ser do lado da Avenida Paulista”, lembra a profissional…

Janaína Bezerra, 26, viveu na Aclimação, no centro-sul da capital, por três anos, após deixar o bairro e mudar-se para o Jaguaré, na zona oeste. “Era amor, um bairro calmo, bastante arborizado e fácil acesso. Ia para a [rua] 25 de março a pé, além de ser do lado da Avenida Paulista”, lembra a profissional de letras.

Embora a facilidade de acesso a espaços culturais e de lazer, Janaína afirma que no antigo CEP havia problemas de iluminação. “À noite é bem escuro, tem problemas com fios também. Muito ficam expostos e quando chove cai a energia na hora”, afirma.

Após sair da empresa na qual trabalhava como analista de comunicação, Janaína migrou de bairro por conta do “aluguel caríssimo”. “Pagava R$ 1.300 em uma kitnet minúscula”, diz. No novo endereço gasta metade do valor.

O território da Prefeitura Regional da Vila Mariana é formado pelos distritos de Moema, Saúde e Vila Mariana. Considerada nobre e privilegiada por sua localização, quase 350 mil pessoas ocupam as dezenas de bairros e vilas.

O principal deles, que também dá nome ao distrito e à prefeitura regional, é um dos mais desejados do país, de acordo o estudo DMI (Dados do Mercado Imobiliário), realizado pelo portal VivaReal. No último trimestre de 2016, a Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e a Vila Mariana, em São Paulo, foram os bairros mais procurados para aluguel e venda.

No quesito aluguel, o bairro carioca aparece em primeiro lugar, enquanto a Vila paulistana segue na segunda posição. Ao contrário do fator venda, liderado pela Vila e  seguido pela Barra da Tijuca.

Segundo a pesquisa, o valor do m² para venda está em R$ 4.846, um leve aumento se comparado ao mesmo período de 2015, quando custava R$ 4.800. Já para quem busca aluguel, o valor do m² está na casa de 23,40 — valor abaixo do registrado no ano passado, de R$ 25,51.

A Vila Mariana tem 26 km² de área e é onde está localizado o parque urbano mais importante de São Paulo, o Parque do Ibirapuera.  “Quando morei na Aclimação, foi o período que mais frequentei o Ibirapuera. Já o Parque da Aclimação era super chato, não podia nem andar de bicicleta. Teve até baixo-assinado dos moradores. A classe média de lá não queria área para bike”, diz Janaína. Além dos parques, outros espaços, como o Centro Cultural São Paulo, o Museu Lasar Segall e a Casa Modernista, engrossam a lista de atrações culturais da região.

Quem também confirma a boa estrutura do bairro é o educador Fabiano Maranhão, 33, que mora na Vila Mariana, mas passa maior parte do tempo no Campo Limpo, na zona sul, onde trabalha no Sesc Campo Limpo. “Vivo pouco o bairro, mas é bem estruturado. É bem servido de bares, restaurantes, mercados, metrô e ônibus. Para o que utilizo, possui hospitais que atendem meu plano e áreas de lazer, como o Sesc Vila Mariana”, afirma.

Dados do Observatório Cidadão, de 2015, mostram que a região tem as melhores taxas da cidade, por exemplo, em relação ao número de museus (9), salas de show e concerto (22), salas de cinema (19) e teatros (13), este último, único na média.

Já no cenário educacional, o território vila-marianense abriga faculdades como a Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), a Escola Superior de Propaganda e Marketing (mais conhecida como ESPM), a Escola de Belas Artes, a Faculdades Paulus de Tecnologia e Comunicação (FAPCOM), a Universidade Paulista (UNIP) e a Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Além de alguns dos colégios mais tradicionais da cidade, como o Liceu Pasteur, na Vila Clementino, o Colégio Notre Dame, no Cambuci, e o Colégio Bandeirantes, na Vila Mariana.

No quesito saúde, o Hospital Público do Servidor Municipal e o Hospital Santa Rita também estão instalados na região. Sob o indicador saúde/infância e adolescência, um índice que chama atençãoé o o número de gravidez na adolescência (até 21 anos). A Vila Mariana está no topo da lista, com um dos menores casos entre as 32 prefeituras regionais. De 2014 para 2015 foram  apenas 76 jovens grávidas, de um total de 3.407. A prefeitura regional fica atrás apenas de Pinheiros, que contabilizou 33 jovens grávidas para uma população de 3.012 meninas.

 

Foto: Reginaldo G. Martins/ Flickr