Moradores do Jardim Lapenna transformam áreas vazias em praças

Publicado em Categorias Lazer, Participação Social, São Miguel PaulistaTags , ,

A forte e persistente chuva do último final de semana (19 e 20 de agosto) não impediu que os moradores do Jardim Lapenna, no extremo leste da capital, fizessem um mutirão para revitalizar duas áreas vazias em praças. As primeiras do bairro. A iniciativa é parte da construção do Plano de Bairro Participativo, instrumento previsto…

A forte e persistente chuva do último final de semana (19 e 20 de agosto) não impediu que os moradores do Jardim Lapenna, no extremo leste da capital, fizessem um mutirão para revitalizar duas áreas vazias em praças. As primeiras do bairro. A iniciativa é parte da construção do Plano de Bairro Participativo, instrumento previsto no Plano Diretor Estratégico da cidade de São Paulo.

O projeto, que recebeu o nome de ‘Praça dos Sonhos’, foi planejado durante as reuniões do Fórum de Moradores do Jardim Lapenna. Jovens e idosos “arregaçaram as mangas” e fizeram a limpeza das praças, plantaram mudas, colocaram bloquetes (blocos ideais para calçadas), pintaram bancos e construíram equipamentos para ginástica.
Leia mais:
De forma participativa, moradores da ZL criam Plano de Bairro
A responsabilidade de registrar em forma de arte os desejos dos habitantes para o local ficou nas mãos de Daniel dos Santos, 14, que não largava o papel. “Basicamente, quase ninguém sabe que eu desenho. Estou muito feliz de fazer isso publicamente no meu bairro e para ele”. Já a construção da gangorra e do balanço ficou com Cícero da Silva, 51, que trabalha como luthier. “Eu acho que se fosse a prefeitura que tivesse feito essa ação não haveria tanto valor”, afirma Ferreira.

Em uma região com 12 mil habitantes, as praças revitalizadas servirão como espaço de lazer para crianças e idosos. Serão também ambientes de convivência que deverão ser utilizados pela Unidade Básica de Saúde Jardim Lapenna. De acordo com a Fundação Tide Setúbal, parceira da comunidade na iniciativa junto com o Hospital Sabará, o bairro possui menos de 1 m² de área de lazer por morador. Esse índice é bem abaixo do recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde), que indica 12 m²/ habitante na área urbana.

Viagem Fantástica

Uma das novas praças é ao lado da Escola Estadual Professor Pedro Moreira Matos (Crédito: Divulgação)

Sob a liderança do arquiteto e urbanista Edgar Gouveia Júnior, 52, cerca de 100 voluntários do Hospital Sabará ajudaram na mobilização. Eles participaram de um projeto chamado ‘Viagem Fantástica’, que recebeu esse nome por não informar aos participantes, aonde eles iriam e o que fariam nesses dois dias. “Eles vieram para ajudar os moradores a fazer algo espetacular, mesmo sem saber, e amaram a experiência”, diz Junior, que também ficou responsável por fazer um esboço de como ficaria a área.

Antes de iniciar as atividades nas praças, os moradores foram responsáveis por mostrar aos voluntários por meio de formação não só as dificuldades, mas também as riquezas do bairro.

Para a moradora, Vânia Linhares, 37, que comandou um dos grupos, a ação vai além de uma reforma nas praças, pois ela traz união à comunidade. “Além disso, mostra aos de fora que, em um bairro do extremo leste, também há talentos e pessoas empenhadas em fazer o bem”, diz a agente de saúde e mãe de dois filhos, ambos envolvidos na ação.

 

Fotos principal: Danielle Lobato