População do distrito do Grajaú reivindica prefeitura regional própria

Publicado em Categorias Capela do SocorroTags

Em 2013, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) sancionou a Lei 15.764 e criou a Prefeitura Regional – à época chamada de subprefeitura – de Sapopemba, na zona leste. Na inauguração da sede da nova administração, em 2015, Haddad explicou o motivo que o levou a desmembrar Sapopemba de Vila Prudente. “A região reivindicava há muitos anos a criação de uma subprefeitura própria. Sapopemba tem mais de 300 mil habitantes, justifica uma subprefeitura do ponto de vista técnico e do ponto de vista quantitativo”, disse.

Em 2013, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) sancionou a Lei 15.764 e criou a Prefeitura Regional – à época chamada de subprefeitura – de Sapopemba, na zona leste. Na inauguração da sede da nova administração, em 2015, Haddad explicou o motivo que o levou a desmembrar Sapopemba de Vila Prudente. “A região reivindicava há muitos anos a criação de uma subprefeitura própria. Sapopemba tem mais de 300 mil habitantes, justifica uma subprefeitura do ponto de vista técnico e do ponto de vista quantitativo”, disse.

Desde janeiro deste ano, já sob a administração de João Doria (PSDB), a população do Grajaú, na zona sul, reivindica a criação de uma Prefeitura Regional para o distrito, que tem 360 mil habitantes e pertence à administração da Capela do Socorro junto com Cidade Dutra (196 mil habitantes) e Socorro (37 mil).

Esta reivindicação ficou clara durante a audiência do Plano de Metas, realizada em abril, quando a criação da regional foi uma das pautas apresentadas pelos moradores que falaram ao microfone. O projeto, porém, não foi adiante e sequer foi citado na audiência de agosto, que apresentou as metas para o período 2017-2020.

O advogado Sidney Cruz, 42, representante do Avança Grajaú, movimento criado em janeiro para pleitear a criação da prefeitura regional no distrito, destacou a parceria com a população local. “Temos apoio da sociedade civil, dos comerciantes, de lideranças comunitárias. Este é um desejo da maioria dos moradores do Grajaú”, afirmou Cruz.

O desenvolvedor de sistemas Júlio Vasconcelos, 32, morador do bairro IV Centenário, acredita que a criação da nova administração ajudaria todos os moradores da região. “A prefeitura regional do Grajaú agilizará o atendimento das demandas dos moradores e reduzirá os problemas que hoje afogam a Prefeitura Regional da Capela do Socorro”, explicou.

Para ele, a criação de uma nova regional seria bom tanto para quem mora no Grajaú, que contaria com uma administração própria, quanto para os moradores do Socorro e de Cidade Dutra, que teriam mais atenção da Prefeitura Regional da Capela do Socorro.

 

LEIA MAIS

 

A prefeitura regional da Capela de Socorro está localizada no Jardim Clipper, na Cidade Dutra. O bairro do distrito de Socorro mais próximo da sede é Interlagos, localizado a 2,4 km. O Parque Brasil, no Grajaú, fica a 3 km de distância. Mas o Jardim Ellus, próximo à Ilha do Bororé, está a quase 9 km da sede. Além da longitude, o Grajaú tem 92 km² de área. Socorro e Cidade Dutra, juntos, têm pouco mais de 42 km².

No Grajaú, 16,77% dos domicílios estão em favelas e apenas 71% das demandas em creches são atendidas. Além disso, há indicadores ruins nas áreas de cultura, saúde e violência.

BALDE DE ÁGUA FRIA

Em nota, a Secretaria Municipal das Prefeituras Regionais informou que “não há projeto ou estudo de separar o Grajaú em uma nova prefeitura regional”. Em 2013, a criação da então prefeitura regional de Sapopemba estava prevista no Plano de Metas 2013-2016.”

Isso não desanima o movimento Avança Grajaú. “Começamos essa luta em janeiro de 2017 e ela só termina com a inauguração do equipamento, seja na gestão Doria, seja na gestão do próximo prefeito”, finalizou Cruz. 

Foto: André Bueno