Campanha contra febre amarela vai vacinar 6,3 milhões de pessoas

Categorias _01_home-posicao-02, Saúde, Vila Maria/Vila Guilherme, Zona Leste, Zona NorteTags , , , ,

"Dia D" acontece de 3 a 24 de fevereiro, quando os postos de saúde dos municípios envolvidos estarão abertos em regime especial para atender a população

Parque Ecológico do Tietê foi reaberto nesta quarta-feira (10) (Alexandre Imamura/CC-BY)

Nesta quarta-feira (10) foram reabertos pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo o Horto Florestal, o Parque da Cantareira e o Parque Ecológico do Tietê. A partir do próximo mês, a pasta realizará uma campanha inédita de imunização contra a febre amarela no território paulista.

Entre os dias 3 e 24 de fevereiro, o governo do Estado pretende vacinar 6,3 milhões de pessoas que residem em áreas ainda não alcançados pelo vírus, mas que estão receptivas, pois integram os corredores ecológicos.

A campanha começa em um sábado, “Dia D”, quando os postos de saúde dos municípios envolvidos estarão abertos em regime especial para atender a população. A finalidade é proteger a população preventivamente.

A campanha será realizada com dose fracionada da vacina, conforme diretriz do Ministério da Saúde. O frasco convencionalmente utilizado na rede pública poderá ser subdividido em até cinco partes, sendo aplicado assim 0,1 mL da vacina.

Mais de 4,8 milhões de doses da vacina fracionada serão disponibilizadas para as pessoas ainda não imunizadas que residirem nos locais definidos pela campanha.

Quem já tomou uma dose da vacina, mesmo se fizer parte destes municípios incluídos na campanha, não precisará se vacinar novamente. A vacina aplicada até o momento (dose padrão) tem validade para a vida toda, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde).

REABERTURA DOS PARQUES

Apesar de reabertos, todos frequentadores do Horto Florestal, o Parque da Cantareira e o Parque Ecológico do Tietê deverão estar vacinados conta a febre amarela. Avisos com essa mensagem serão fixados nas entradas dos parques.

A medida será possível devido à redução de riscos de transmissão da febre amarela para humanos, devido às estratégias de vacinação realizadas nos bairros do entorno dos parques.

As unidades foram fechadas para ações preventivas de Saúde em 20 de outubro e 10 de novembro, respectivamente, com ênfase na busca de mosquitos e macacos infectados. Todo o trabalho foi realizado com apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SMA) e do Instituto Florestal, assim como o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), autarquia vinculada à Secretaria Estadual de Saneamento e Energia (SSRH).