Morador da zona norte é crítico e avesso à política, revela pesquisa

Publicado em Categorias + Notícias, Casa Verde, Freguesia do Ó/Brasilândia, Jaçanã/Tremembé, Perus, Pirituba/Jaraguá, Política, Santana/Tucuruvi, Temas, Vila Maria/Vila Guilherme, Zona NorteTags

Apesar da base eleitoral expressiva, prefeituras regionais da Vila Maria/Vila Guilherme e Casa Verde/Cachoeirinha não tiveram vereadores eleitos em 2016

Morador da zona norte é crítico e avesso à política, revela pesquisa
A Serra da Cantareira, que abraça as sete prefeituras da região norte (Daniel Massari/Flickr)

A pesquisa “Viver em São Paulo”, realizada pela Rede Nossa São Paulo em parceria com o Ibope, mostra que o morador da zona norte é crítico da administração pública e pouco envolvido na política da cidade.

Apesar da base eleitoral expressiva, duas prefeituras da região não tiveram representantes eleitos para a Câmara Municipal em 2016, considerando os locais de residência dos candidatos:  Vila Maria/Vila Guilherme e Casa Verde/Cachoeirinha.

O levantamento foi  divulgado em reportagem do 32xSP, logo após o pleito, e mostrou que, dos 55 vereadores, apenas três declararam morar na zona norte, enquanto sete tiveram as votações mais expressivas na região.

LEIA MAIS: Apenas 19% dos paulistanos confiam nas prefeituras regionais

Entre os entrevistados da pesquisa “Viver em São Paulo”, 59% disseram não lembrar em quem votaram para vereador na última eleição — o percentual mais alto da cidade –, e somente 3% afirmaram terem participado de atividades na Câmara Municipal, nos últimos 12 meses — o pior índice entre todas as regiões.

Nos quesitos sobre a atuação da prefeitura e das regionais, a reprovação dos residentes da região norte superou a média da cidade. Para 43% das pessoas, a atual gestão municipal foi considerada ruim/péssima, enquanto 40% avaliaram como regular e 14% optaram por ótima/boa.

Já as prefeituras regionais atingiram 47% de desaprovação (ruim/péssima), 38% de nota regular e 11% de boa/ótima. A opinião mais crítica dos entrevistados foi para a atuação da Câmara de Vereadores, que atingiu 71% de ruim/péssima, 19% de regular e somente 2% de ótima/boa.

MORADORES OPINAM, PREFEITURA RESPONDE

Residente na Vila Munhoz há 24 anos, a dentista Marieta Kirvaitis, 63, tem o perfil padrão apontado pela pesquisa. Ela avalia como “regular para ruim” o primeiro ano da nova administração da prefeitura regional de Vila Maria/Vila Guilherme e afirma jamais ter ido à Câmara Municipal. “Ia passar mal se fosse lá”, diz.

Desencantada com a política, a dentista diz que não votou nas últimas eleições. “Não tinha candidato decente”, justifica. Sobre a avaliação negativa da regional, ela cita a falta de cuidado com o Parque do Trote, na Vila Guilherme.

Morador da zona norte é crítico e avesso à política, revela pesquisa
Comerciante na Feirinha da Madrugada, Pedro Guedes reclama da superlotação dos ônibus (Sidney Pereira/32xSP)

“É uma área linda, mas levei as minhas netas, no ano passado, e o parquinho estava interditado, sujo e com mato alto. Não voltei mais”, comenta.  Ela também avaliou como negativa a experiência de levar as crianças ao Parque Domingos Luís, ao lado do metrô Jardim São Paulo, na área da prefeitura regional Santana/Tucuruvi. “É um local sem conservação e as pessoas também não cuidam. Vi muita sujeira de cachorro”, afirma.

A mesma [má] avaliação da gestão municipal na região norte faz Pedro Guedes, 57, que trabalha na Feirinha da Madrugada, no Brás. Morador da comunidade Sallus, na Vila Guilherme, ele critica o atendimento na Saúde e o sistema de Transportes. Sem nenhuma estação de metrô ou de trem perto, todos da comunidade dependem de poucas linhas de ônibus.

“Estamos no meio do caminho para o centro e os ônibus vêm de bairros com muita gente, como o Jardim Brasil, e já passam lotados aqui. Na volta pra casa, é o mesmo sufoco para descer”, relata.

O comerciante também reclama do Hospital Dia da Vila Guilherme. “A estrutura é bonita, mas antes eles também atendiam as urgências e agora só marcam consultas. E como é demorado!”, diz.

VEJA TAMBÉM: Investir em educação de qualidade é a solução para diminuir violência em SP, diz estudo

Na outra região sem representantes na Câmara Municipal, a Casa Verde/Cachoeirinha, o motoqueiro Yan Siqueira, 23, morador do Limão, sente “falta de diversão” perto de casa. Segundo ele, o distrito não tem locais de lazer.” Eu e meus amigos sempre vamos para outros bairros. Não tem nada pra fazer aqui nem cinema”, justifica.

O jovem critica o “trânsito assassino” da cidade, os buracos nas vias e os semáforos com defeito. Apesar da lista de queixas, o motoboy considera a gestão municipal como regular, mas não se recorda do nome do político em quem votou para vereador. “Foi indicação de minha irmã, só sei que não era da região e recebeu poucos votos”, diz.

Questionada sobre os resultados da pesquisa, a secretaria das Prefeituras Regionais não justificou os baixos índices de aprovação obtidos pela administração municipal na zona norte e apenas enviou os números referentes às ações de zeladoria.

Segundo o órgão, a atual administração recebeu “quase 458 mil pedidos pendentes” da anterior e destacou que “todas as demandas para tapa-buracos, no ano passado, foram solucionadas”.

Também comentou as ações na região norte dos programas Asfalto Novo, Adote uma Praça, Cidade Linda e Calçada Nova, além das podas de árvores e remoção de veículos. A secretaria anunciou o início da atuação de novas equipes de zeladoria, a partir deste mês de março.

***

Corredores de ônibus da zona norte são os mais lentos de SP