Após 10 anos, hospital de Parelheiros é inaugurado pela metade

Publicado em Categorias _01_home-posicao-01, Parelheiros, Saúde, Zona SulTags ,

Prestes a renunciar cargo de prefeito, João Doria abriu apenas pronto-socorro de nova unidade médica no extremo sul da capital paulista

    Apenas pronto-socorro de novo hospital em Parelheiros foi inaugurado (Rubens Rodrigues/32xSP)

Sob protestos de moradores, na última quinta-feira (29), João Doria (PSDB), prestes a renunciar o cargo de prefeito de São Paulo para se lançar ao governo estadual, inaugurou apenas o pronto-socorro do Hospital Municipal de Parelheiros, na zona sul da capital paulista. A população local aguardava uma unidade médica há dez anos.

De acordo com a prefeitura, até o fim de maio, as obras do Hospital Josanias Castanha Braga serão finalizadas. Enquanto isso, o atendimento será realizado somente em casos emergenciais ou com encaminhamentos de AMAs (Assistências Médicas Ambulatoriais) e UBSs (Unidades Básicas de Saúde).

LEIA MAIS:
Em menos de 6 meses, Doria troca de prefeito regional de Parelheiros

“Já que é para inaugurar, que fosse tudo né? Mas é ano de eleição. Para ganhar votos, eles fariam até defunto levantar, se pudessem”, diz a operadora de caixa Karen do Santos, 22.

Durante o primeiro dia aberto, não houve atendimento. Funcionários limparam e esterelizaram materiais e equipamentos.

A reportagem do 32xSP acompanhou os primeiros pacientes atendidos na nova unidade. Com o pé esquerdo inchado, Paloma Morais, 27, que mora  na mesma rua do hospital, afirma estar feliz. A partir de agora, ela não precisará percorrer 8 km para ter acesso médico.

“Nós precisávamos. Vai ajudar todo mundo que mora na região, além de desafogar os outros lugares, como Balneário São José [posto de saúde] e o Hospital do Grajaú”, completa Paloma. Ambas as unidades estão afastadas a 8 e 16 km, respectivamente.

Até o momento, o hospital municipal oferece atendimento ortopédico, ginecologia, cirurgia geral, clínica médica e pediatria.  

Ao contrário daqueles que busca tratamento médico, houve também quem estivesse no local para pedir emprego. 

É o caso de Kevim Silva, 18, que saiu de Embu-Guaçu, na Grande São Paulo, para garimpar uma vaga na área de enfermagem. Ouvi falar que a preferência é para quem mora em Parelheiros”, lamenta.

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, o Hospital Josanias Castanha Braga está localizado em um terreno de 110 mil m², com 40 mil m² de área construída, e tem capacidade de atender os 160 mil moradores de Parelheiros.  

A pasta informa ainda que a obra, iniciada na gestão de Fernando Haddad (PT), custou R$ 182 milhões.

MANIFESTAÇÃO

Durante a cerimônia de inauguração, alunos, pais e professores protestaram do lado de fora do hospital por melhorias nas escolas municipais.

O grupo era liderado por William Prado, 36, coordenador do conselho de saúde de Parelheiros. De acordo com ele, o tumulto aconteceu porque um segurança do hospital “agiu de má-fé”.

“Eu estava intermediando um acordo com a segurança para permitir subir uma comissão de dez alunos com pais e professores. Eles deram a palavra que iam liberar, nós esperamos e ele [prefeito]  foi.”

VEJA TAMBÉM
Parto de adolescentes em Parelheiros é 11 vezes maior do que em Pinheiros

Nervosos, os estudantes começaram a barrar a passagem dos carros que saíam do hospital. A Guarda Civil Metropolitana e a Polícia Ambiental foram chamadas para intervir.  Um agente da GCM usou spray de pimenta para apaziguar o confronto.

“Eu pedia para os alunos  saírem da calçada do hospital para não sofrerem retaliação. Quando estavam quase saindo, a GCM e a Polícia Ambiental já estava em cima da gente”, conta Prado.

A prefeitura informa que ação dos agentes da Guarda Civil Metropolitana foi para “conter o tumulto dos manifestantes”, e que a conduta será avaliada.