À la BBB, Cidade Tiradentes ganhará câmeras monitoradas ao vivo

Publicado em Categorias + Notícias, Cidade Tiradentes, violência, Zona LesteTags , ,

Equipamentos serão instalados nas principais vias do distrito da zona leste. Iniciativa faz parte do projeto "City Câmeras", da Prefeitura de São Paulo

Share this...
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on Pinterest
Cidade Tiradentes é o maior complexto habitacional da América Latina

Nas próximas semanas, moradores da Cidade Tiradentes, no extremo leste de São Paulo, terão a sensação de estar participando do BBB. Ou seria Big Brother Cidade Tiradentes? Cerca de 40 câmeras públicas serão instaladas em vias importantes, como na rua Inácio Monteiro, nas avenidas dos Metalúrgicos e Mário Ferraz e nas estradas do Iguatemi e Souza Ramos.

As imagens poderão ser monitoradas ao vivo por qualquer pessoa — mediante cadastro — no site do projeto City Câmeras, lançado em julho do ano passado, pela Prefeitura de São Paulo. A administração municipal já instalou equipamentos em pontos turísticos e movimentados, como nas avenidas 23 de Maio e Paulista.

Prefeito Regional da Cidade Tiradentes, Oziel Souza, 37, conta que desejava em instituir um sistema de monitoramento para acompanhar ações públicas e vigiar as ruas do maior complexo habitacional da América Latina.

LEIA MAIS:
Operação contra pancadões é abusiva, dizem moradores

“O prefeito Doria recebeu doação [da iniciativa privada] de câmeras. Isso me interessou muito, né? Já estamos fazendo ações na segurança desde o ano passado, como a Operação Sono Tranquilo e Tolerância Zero. Esses equipamentos chegam para acrescentar ainda mais à ação de manter o bairro mais seguro”, afirma.

Câmeras públicas já instaladas por meio do City Câmeras (Reprodução)

A instalação e manutenção das 40 câmeras na Cidade Tiradentes foram negociadas por Oziel Souza com o secretário de Segurança Municipal Urbana, José Roberto Rodrigues de Oliveira. A princípio seriam disponibilizados apenas 20 equipamentos. Todas eles, ficarão sob responsabilidade dos comerciantes, que precisam assinar um termo de comprometimento.

Em fevereiro, Oziel Souza apresentou a iniciativa para donos de estabelcimentos locais. A ideia é que mesmo quando instaladas, as imagens geradas deem conta das calçadas, e também mostrem a passagem de pedestres e carros. O monitoramento interno do espaço não está previsto nas imagens.

“Foi custo zero. O que vamos ter é uma sala de monitoramento para adequar com equipamentos que já temos, provavelmente dentro de algum espaço da Guarda Civil. Em termos de imagens e captação esse é o nosso maior projeto”, relembra.

Além disso, plataforma de monitoramento será acessada diretamente pelos distritos policiais, batalhões da Polícia Militar e Guarda Civil Metropolitana (GCM), para garantir mais agilidade nas ações dos órgãos responsáveis por ações de segurança.

CONEXÃO

Apesar de elogiada por moradores, que acreditam que o monitoramento ajudará a coibir assaltos e outras ocorrências, a conexão de internet ruim põe em xeque a efetividade do projeto.

Essa é a preocupação do mecânico Isaias Cruz, 32. “A gente não tem uma internet de qualidade. Eu pago 1MB e não recebo [a conexão prometida]. Já quis aumentar, e a operadora diz que não está disponível”, afirma. “Como poderia implantar esse serviço se a gente não tem serviço de qualidade de internet?”, segue.

SAIBA MAIS
“Viver na Cidade Tiradentes é ter que pagar pedágios simbólicos”

Cidade Tiradentes conta, em média, com uma antena de banda larga para cada 16.913 habitantes, enquanto em São Paulo é dispõe para 3,5 mil, de acordo com dados fornecidos pela Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia.

Em resposta ao 32xSP, a pasta informa que o distrito possui duas empresas locais que oferecem serviços de conexão de internet de qualidade para atender o bairro. Os moradores, no entanto, dizem desconhecer esses serviços.