Um ano após ‘Cidade Linda’, avenida Celso Garcia mantém problemas

Publicado em Categorias _01_home-posicao-04, + Notícias, Mooca, Penha, Zona LesteTags , , , ,

Em abril de 2017, vestido de gari, João Doria esteve na via que liga os distritos do Pari e Penha, na zona leste, para dar início à operação de zeladoria

Asfalto com ondulações na avenida Celso Garcia, na zona leste da capital paulista (Lucas Landin/32xSP)

Em abril de 2017, o prefeito João Doria (PSDB) esteve na avenida Celso Garcia, que liga os distritos do Pari e Penha, na zona leste, para dar início a uma operação de limpeza e manutenção do programa “Cidade Linda”.

A promessa era recuperar as calçadas e o asfalto, reformar o mobiliário urbano e efetuar a limpeza da via. Na ocasião, o próprio Doria, vestido com uniforme de gari, ajudou a recolher o lixo do local. Contudo, um ano depois da ação, a Celso Garcia continua a apresentar os mesmos problemas de falta de zeladoria.

“Uma das demandas que vieram daqui da comunidade, pelas pessoas que vivem ou utilizam a Celso Garcia, é para o reasfaltamento desta avenida, e ela já foi colocada nas nossas prioridades para o recape. A avenida não está bem, tem buracos e ondulações demais”, disse Doria na ocasião. O asfalto, porém, continua danificado. Buracos e ondulações são encontrados do início ao fim da avenida.

LEIA MAIS
Cidade Linda é 4 vezes mais presente no centro do que nas periferias de São Paulo

“É como se estivesse dirigindo na lua”, brinca o motorista Jorge Aouada, 54, morador do Belenzinho.

Para o pedestre, a situação também não é das melhores. Da altura da rua Rubino de Oliveira, no Brás, até a biblioteca Hans C. Andersen, no Tatuapé, as calçadas estão cheias de crateras. Por todos os 6,5 km da avenida também é possível encontrar lixo e entulho acumulados, obstruindo a passagem. Na Penha, restos de poda de árvores se misturam com caixotes e móveis.

{"autoplay":"true","autoplay_speed":"3000","speed":"300","arrows":"true","dots":"true"}

“Passar aqui com carrinho de bebê é difícil, por isso ando pelas beiradas da avenida”, conta a vendedora Jhennifer Silva, 19. Questionada sobre o perigo, ela sorri. “Claro, é perigoso sim, mas não tem outro jeito. Só trago ele [aponta para o filho] quando não tenho outro jeito, agora mesmo estou voltando do posto de saúde.”

Segundo a prefeitura, no ano passado, todos os 62 pontos de ônibus da avenida passaram por manutenção completa, com lavagem e aplicação de adesivos com informações sobre linhas e itinerários. Atualmente, considerável parte deles já não possui mais sinalização.

Nas proximidades do Parque Belém, a assistente técnica Mariana Medeiros, 25, moradora do Jardim Danfer, consulta pelo celular os ônibus que passam na via. “Se não tivesse com o aplicativo baixado, nem saberia voltar para casa”, conta.

O programa SP Cidade Linda também prometeu recuperar placas de sinalização na via, mas ainda há postes sem chapas. Em alguns cruzamentos, há placas quebradas ou em sentidos errados.

VEJA TAMBÉM
Conselho de Pinheiros expõe no Facebook empresas que descumprem Lei Cidade Limpa

Em nota ao 32xSP, a Secretaria Municipal das Prefeituras Regionais (SMPR) informa que a avenida recebe serviços como limpeza e pintura de guias semanalmente, e que entre os dias 19 a 24 de março, a via recebeu operações intensivas de tapa-buraco nos trechos correspondente aos números 4.000 a 5.720, na altura do Tatuapé.

Quanto à situação das calçadas, a SMPR afirma que proprietário do imóvel é responsável pela conservação, manutenção e reforma. Calçadas em situação irregular ou em mau estado de conservação são passíveis de multa. Já a Prefeitura Regional Mooca informa que solicita apoio a SPTrans para sanar possíveis irregularidades no asfaltamento da faixa de ônibus, quando necessário.

MARKETING

Em fevereiro, a juíza Carolina Martins Clemencio Duprat Cardoso, da 11ª Vara da Fazenda Pública, concedeu uma liminar contra o prefeito, impedindo João Doria de utilizar “SP Cidade Linda” como logomarca da prefeitura.

O símbolo do programa de zeladoria urbana era amplamente utilizado pelo prefeito como marketing por meio de camisetas, cartazes, anúncios e redes sociais.

***

Acúmulo de lixo e falta de estrutura faz parte da rotina na Estrada do M’Boi Mirim