O amor está no ar: Capela do Socorro é a região mais casamenteira de SP

Publicado em Categorias + Notícias, Campo Limpo, Capela do Socorro, Cidade Ademar, Demografia, Ipiranga, Jabaquara, Parelheiros, Santo Amaro, Temas, Vila Mariana, Zona SulTags , ,

Em 2017, por lá foram realizados 5.400 matrimônios “no papel”. Zona sul lidera ranking, com Santo Amaro e Jardim São Luís no TOP 3.

Angelica e Carlos se casaram em 2016 na zona sul de SP (Reprodução)

Nem a crise econômica, desemprego e muito menos insegurança política do país espantaram o desejo de casar, pelo menos em São Paulo. Segundo um levantamento feito pela Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen-SP), a região sul é que concentra o maior número de casamentos desde 2013. As regionais de Capela do Socorro e Santo Amaro e o distrito de Jardim São Luiz são os mais casamenteiros.

Capela do Socorro, no extremo sul, lidera o ranking: em 2017 foram realizados 5.393 casamentos. Já em Santo Amaro, segundo colocado, 3.694 matrimônios. Índice um pouco acima do Jardim São Luiz, com 3.606.

LEIA MAIS:
Rodeada de represas, Capela do Socorro é a 2ª regional mais populosa de SP

Prova de que o cupido tem preferência pela zona sul, a representante comercial Alyne Dutra de Campos, 30, e seu amado, o motofrentista Mayke Oliveira Ferreira, se casaram em outubro no distrito do Socorro, que pertence à Capela do Socorro.

“Moramos dois anos juntos e engravidei. Já era evangélica, porém estava afastada, mas queria participar da Santa Ceia da igreja. E então resolvi voltar a congregar e para isso quis concretizar nossa união.  Faz um ano e seis meses e estamos muito felizes”, conta Alyne, moradora do Grajaú, distrito também dentro da Capela do Socorro.

Outro alvo do cupido, a professora Angélica Oliveira de Lima, 21, e o técnico telefônico Carlos Alves de Lima, 21, também decidiram trocar alianças em outubro de 2016.

“Casamos porque já estávamos há quatro anos juntos, somos evangélicos, e foi lindo oficializar nossa união”, conta emocionada, Angélica que mora no Jardim Iporanga, na Capela do Socorro.

Casal Alyne e Mayke se uniram em outubro de 2016 (Arquivo pessoal)

De acordo com a Arpen-SP, desde 2013, as zonas distritais que realizam mais casamentos, além da zona sul, são Guaianases, Itaim Paulista, Itaquera e São Miguel Paulista, na zona leste; Tucuruvi, zona norte; e Butantã, zona oeste.

VEJA TAMBÉM:
População do distrito do Grajaú reivindica prefeitura regional própria

Segundo a mesma pesquisa, somente este ano já foram registrados cerca de 17 mil casamentos. No ranking estão:  Capela do Socorro (1.297); Santo Amaro (922); Jardim São Luiz (912). O Bom Retiro, no centro-leste, foi o local com menos casórios, apenas 11; em 2017 registrou somente 72– um a mais do que em 2016.

DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA CASAR

–  Documento de identidade dos noivos e das 2 testemunhas;b) Certidão de Nascimento;

– Caso de noivos (ele ou ela) divorciados, apresentar Certidão de Casamento com Averbação de Divórcio;

– Caso de noivos viúvos (ele ou ela), apresentar Certidão de Casamento e de Certidão de Óbito do cônjuge falecido;

– Caso dos noivos (ele ou ela), entre 16 e 17 anos de idade, deverão ser acompanhados pelos pais ou representantes legais.

TESTEMUNHAS

No casamento civil é necessário ter testemunhas e devem ser pessoas que conhecem o casal. As mesmas assinam no dia de dar entrada no processo do casamento no cartório de registro civil.

PADRINHOS

Com quantidade opcional, os padrinhos são pessoas escolhidas pelos noivos que assinam no dia da realização da cerimônia.

CUSTOS

– Casamento em cartório: R$ 404,90

– Casamento religioso com efeito civil: R$ 404,90

– Conversão de união estável em casamento: R$ 404,90

– Casamento em diligência (fora do cartório): R$ 1.319,70

– Transferência R$ 279,57 (Cartório de Origem) + R$ 119,01 (Cartório de Destino)