Aberta aos domingos e feriados, Paulista ganha conselho gestor

Publicado em Categorias _01_home-posicao-02, Centro, Lazer, Participação Social, , TemasTags , ,

Desde o início de maio, via mais famosa de SP conta com colegiado formado moradores, representantes da Prefeitura Regional da Sé, CET e Conselho Participativo

Aberta aos domingos e feriados, avenida Paulista foi a pioneira do Programa Ruas Abertas. (Andrew Oliveira)

Desde o início de maio, a avenida Paulista, a via mais famosa e importante de São Paulo, conta com um conselho gestor. Após um processo eleitoral no final de abril, os moradores da via Raphaela Galletti e Andrew Johnson de Oliveira receberam a maioria dos votos. Além deles, o colegiado é composto por dois representantes da Prefeitura Regional da Sé, um da CET e um do Conselho Participativo.

A criação desse conselho está prevista no Decreto 57.056/2016, que cria o “Programa Ruas Abertas”, e a finalidade dele é “apoiar, fortalecer, implementar, apresentar propostas alusivas à iniciativa, bem como receber e apreciar sugestões e reclamações dos munícipes.”

Moradora há 20 anos da avenida, a advogada e empresária Raphaela diz ser apaixonada pela Paulista. Aos 57 anos, ela foi a mais votada na primeira eleição dos conselheiros, obtendo 119 votos.

LEIA TAMBÉM
-Sem nenhuma ‘rua aberta’, sobram poucas opções de lazer em São Mateus
-Após mudar status para parque, praça ‘Pôr do Sol’ ganha conselho gestor

“O ‘Paulista Aberta’ foi implantado de forma súbita, sem muito planejamento e focado somente na abertura da via para os pedestres. Mas não é só isso, tem todo um conceito de ocupação do espaço público”, ressalta ela, que afirma amar os parques próximos e encontros amigos nos arredores.

Raphaela lembra que muitos problemas surgiram ao longo dos últimos anos e que precisam ser contornados. Segundo ela, o decreto prevê manifestações artísticas, culturais e esportivas, mas sempre pactuadas com prefeitura regional.

Porém, há apresentações e outros tipos de atividades, como o comércio ambulante, que não são combinados com a administração local.

“Várias vezes as apresentações são tão grandiosas que o público acaba invadindo a ciclofaixa, o que não pode acontecer. Por outro lado, o fechamento da avenida para os carros gerou mais visibilidade, promoveu mais integração do cidadão, e manter isso faz parte da minha função de conselheira também”, afirma.

Para Oliveira, o segundo mais votado do pleito, o “Programa Ruas Abertas” é importantíssimo, e a partir da Paulista a iniciativa reverberou para outras regiões.

“Acho que um dos desafios do conselho é garantir a pluralidade de vozes, a democracia, porque quem faz a Paulista acontecer não são só os moradores, mas os comerciantes, os artistas, os paulistanos de outros cantos da cidade”, afirma.

“O segundo desafio é manter o diálogo sempre com os canais oficiais, como a CET, a prefeitura, a regional da Sé…”, reforça o jovem sociólogo de 26 anos que trabalha na área de mobilidade.

Andrew Oliveira e Raphaela Galletti, os conselheiros recém-eleitos (Prefeitura Regional da Sé)

Em relação aos problemas, ele destaca que deveria ser elaborado para os artistas que trabalham com música um mapeamento de quais sãos os perímetros residências, hospitalares, com centros religiosos. Assim seria evitado excesso de ruídos nesses locais.

“Propor um rodízio entre os músicos também é interessante para que determinadas áreas não se tornem ‘particulares’, diz o também morador da via.

Outra proposta de Oliveira é que haja um empenho maior na área da reciclagem, fazendo um trabalho junto aos catadores.

VEJA TAMBÉM
– O que você sabe sobre a Sé?
– Conselheiros participativos se dizem desrespeitados por prefeito regional

Ao todo, 147 pessoas participaram do processo eleitoral, porém foram computados 146 votos, já que um estava rasurado. A apuração foi feita no dia 2 de maio na Prefeitura Regional da Sé. O conselho terá uma duração de 12 meses.

Segundo o prefeito regional, Eduardo Odloak, a existência do conselho irá contribuir com a administração, deliberando assuntos que são pertinentes à avenida Paulista, que tem a mais bem sucedida experiência do “Ruas Abertas”.

RUAS ABERTAS

O “Programa Ruas Abertas” foi criado durante a gestão do ex-prefeito Fernando Haddad (PT), em 2015, e iniciou pela avenida Paulista. Após críticas de que ele estava priorizando a região central, a gestão optou por expandi-lo para todas as regionais da cidade. A lei foi promulgada poucos dias antes de Haddad deixar o cargo.

Atualmente, a Paulista fica fechada para os carros aos domingos e feriados, das 10h às 18h.

***

Prefeito regional da Sé quer revitalizar monumentos para atrair turistas