Parque do Grajaú dá sinais de abandono após corte no orçamento

“Nunca vi ninguém limpando nada lá, nem varrendo, nem nada. Inclusive, está muito sujo, muito lixo”, comenta a comerciante Maria da Glória Viana, 61, a respeito da manutenção do Parque Linear Cantinho do Céu, localizado no distrito do Grajaú, zona sul, às margens da represa Billings. Maria da Glória mora na região há 25 anos e frequenta o parque desde a inauguração, em 2009. Ela faz caminhada diariamente e tem observado o quanto o lugar está sujo.

Avenidas com mais acidentes de trânsito estão na zona sul e leste

“Muitos motoristas não respeitam os sinais. É horrível. Principalmente fim de semana, que têm muitos carros e muitos pedestres”, diz a desempregada e moradora do Grajaú Ingrid de Macedo, 20, ao falar da situação da avenida Dona Belmira Marin, localizada no distrito da subprefeitura Capela do Socorro, zona sul. A via está entre as 10 mais perigosas numa relação de 50 avenidas da capital de São Paulo presente no relatório de acidentes de trânsito fatais de 2015 divulgado pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

Especial: no Grajaú, poucos pontos ainda têm adesivo informativo

A modernização dos pontos de ônibus na região do Grajaú, zona sul de São Paulo, iniciada há cerca de dois anos, trouxe mais informação e melhorou na comodidade dos usuários do transporte público da região. No entanto, a não implantação de novos pontos e, principalmente, a falta de manutenção fizeram com que os modernos pontos de vidro perdessem os adesivos informativos que foram colocados no início, e os vidros de proteção das paradas viraram painéis de divulgação, principalmente de vendas e locações de imóveis.

Com poços contaminados, bairros do Grajaú seguem sem saneamento básico

“É uma água assim, pesada. Não tem gosto, nem cheiro, mas é pesada. Aí a gente cismou e parou de tomar”, diz a dona de casa Roselita Silva, 48, que mora na Ilha do Bororé, bairro do distrito do Grajaú, zona sul. A região localizada às margens da represa Billings, em uma área de proteção ambiental, a APA Bororé Colônia, não possui abastecimento público de água nem coleta de esgoto. Os moradores dependem de fossas e poços. Todavia, alguns poços estão contaminados, como o da casa de Roselita.

Grajaú possui campos ao redor de córregos e com poças de água

Um campo de terra alaranjada ao lado de um pequeno córrego é ocupado por rapazes aos fins de semana. O lugar por onde a bola corre entre as chuteiras se chama Buraco do Sapo e é o único espaço esportivo e de lazer do Jardim Gaivotas, bairro do distrito Grajaú, zona sul. O campo foi construído no ano 2000 pelos próprios moradores.