Alta do desemprego leva moradores de E. Matarazzo a trabalharem na feira

“Alô, alô freguesa! Pode chegar que esta fruta é bem docinha e saborosa!” Essa é uma das frases que saem da boca da feirante Ariana Duarte, 28. Recém-formada em enfermagem, pela falta de emprego na área, resolveu trabalhar na barraca de frutas, todas às sextas, na feira noturna da Praça Benedicto Ramos Rodrigues, em Ermelino…