Grajaú tem 10 vezes menos equipamentos culturais que o Butantã

Um ponto de leitura, um centro cultural e uma sala de cinema do circuito SPCine são os únicos três equipamentos disponíveis para atender a população

População do distrito do Grajaú reivindica prefeitura regional própria

Em 2013, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) sancionou a Lei 15.764 e criou a Prefeitura Regional – à época chamada de subprefeitura – de Sapopemba, na zona leste. Na inauguração da sede da nova administração, em 2015, Haddad explicou o motivo que o levou a desmembrar Sapopemba de Vila Prudente. “A região reivindicava há muitos anos a criação de uma subprefeitura própria. Sapopemba tem mais de 300 mil habitantes, justifica uma subprefeitura do ponto de vista técnico e do ponto de vista quantitativo”, disse.

Com poços contaminados, bairros do Grajaú seguem sem saneamento básico

“É uma água assim, pesada. Não tem gosto, nem cheiro, mas é pesada. Aí a gente cismou e parou de tomar”, diz a dona de casa Roselita Silva, 48, que mora na Ilha do Bororé, bairro do distrito do Grajaú, zona sul. A região localizada às margens da represa Billings, em uma área de proteção ambiental, a APA Bororé Colônia, não possui abastecimento público de água nem coleta de esgoto. Os moradores dependem de fossas e poços. Todavia, alguns poços estão contaminados, como o da casa de Roselita.

Grajaú possui campos ao redor de córregos e com poças de água

Um campo de terra alaranjada ao lado de um pequeno córrego é ocupado por rapazes aos fins de semana. O lugar por onde a bola corre entre as chuteiras se chama Buraco do Sapo e é o único espaço esportivo e de lazer do Jardim Gaivotas, bairro do distrito Grajaú, zona sul. O campo foi construído no ano 2000 pelos próprios moradores.