De São Paulo a Xalapa, no México, maestro encanta plateias com a sua arte

Era pouco antes das 9h quando o maestro Lanfranco Marcelletti Jr. chegou à Sala São Paulo, no centro da cidade. Sob o sol que já brilhava, desceu calmamente do carro e dirigiu-se a uma das entradas. De repente, ele sumiu. Na verdade, Lanfranco tinha ido para um lugar mais reservado, onde pudesse se concentrar. Precisava estudar as peças que ensaiaria ainda naquela manhã de sábado e apresentaria à noite para o grande público. Era a primeira vez que as batutas do recifense, de 52 anos, iriam reger uma orquestra na Sala São Paulo, considerada uma das melhores salas de concerto do mundo.