Moradores de Cidade Líder serão beneficiados com novo corredor de ônibus

20/07/2016 21:01 | Atualizado: 08/05/2019 14:53
Reportar erro Categorias Itaquera, MobilidadeTags ,

De acordo com o órgão responsável pela construção, a pista de concreto por onde circularão os ônibus já foi finalizada e as obras seguem nas rampas de acessibilidade das calçadas

(Créditos da foto: reprodução)

O distrito de Cidade Líder, que faz parte da subprefeitura de Itaquera, na zona leste da capital paulista, está prestes a ganhar um corredor de ônibus na avenida de mesmo nome.

Com uma extensão de 1,8 km, o novo corredor se estende da rua Diogo de Souza à avenida Itaquera, no sentido centro, e da rua Manuel Cardoso à praça Dr. Francisco Munhoz Filho, no sentido bairro. Mais de 128 usuários serão beneficiados.

De acordo com a SPObras, órgão responsável pela construção, a pista de concreto por onde circularão os ônibus já foi finalizada e as obras seguem nas rampas de acessibilidade das calçadas.

O corredor contará com três paradas no canteiro central e vai se conectar ao novo corredor de ônibus da avenida Itaquera, que tem 6 km de extensão e que, de acordo com o site do Plano de Metas da prefeitura, está com 52,5% das obras concluídas.

Morador do bairro Vila Santa Isabel, na subprefeitura vizinha Aricanduva, Rogério Moura é coordenador do conselho participativo da região e acredita que o corredor da avenida Líder trará grandes benefícios para a região, pois o trânsito na via é intenso, principalmente nos horários de pico.

“O trânsito é intenso, principalmente pela quantidade de automóveis. Hoje não é um carro por família, mas um para cada integrante dela”, ressalta o conselheiro, que diz será usuário do novo corredor quando for visitar amigos em Itaquera e Cidade Líder.

Para Moura, a cultura do automóvel ainda é muito forte, não somente em São Paulo, como em todo o Brasil e o corredor não vai mudar o hábito dos moradores que já usam o carro, mas é mais uma oferta de locomoção, em alguns casos até mais rápida. “Somente a educação vai poder mudar esse hábito. Acho que isso ainda vai levar muitas décadas no nosso país”.

Até o momento foram gastos na obra R$ 3,6 milhões. Segundo o site do Plano de Metas da prefeitura, a estimativa era de R$ 293 milhões, provenientes do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do Minha Casa Minha Vida, ambos do governo federal, e também da prefeitura de São Paulo.