Espera por construção de posto de saúde na Jova Rural já dura dois anos

17/08/2018 14:46 | Atualizado: 31/08/2018 18:10
Reportar erro Categorias + Notícias, Educação, Jaçanã/Tremembé, Temas, Zona NorteTags , ,

Entrega da UBS Jova Rural, na zona norte de SP, foi prometida para agosto de 2016. Moradores reclamam do atraso nas obras

Obra de posto de saúde está atrasada na Jova Rural, zona norte de São Paulo (Aline Kátia Melo/32xSP)

Em agosto de 2015, foram iniciadas as obras de construção da UBS (Unidade Básica de Saúde) Jova Rural, na região do Jaçanã, zona norte de São Paulo. O terreno era usado pelos moradores como um campo de futebol improvisado e atualmente abriga a obra inacabada pela Prefeitura.

Na placa é possível ler a data prevista de término da construção: 17 de agosto de 2016, exatamente dois anos atrás.

“A obra está bem devagar, vejo poucas pessoas trabalhando. Completar dois anos de atraso é um absurdo, um descaso total com a população e com o dinheiro público”, explica a contadora Rosângela Reis, 37, moradora da região há 30 anos.

A gente consegue perceber que tem coisas estragando. Vi uma parede verde de lodo de uma goteira na parte interna, além do estrago das pichações no muro”, completa.

LEIA MAIS
Moradoras da Jova Rural reclamam de esgoto a céu aberto

Moradores reclamam dos dois anos de atraso na entrega da UBS Jova Rural
UBS deveria ser entregue em 17 de agosto de 2016 (Aline Kátia Melo/32xSP)

O 32xSP acompanha a história desde 2016. A primeira matéria, publicada em agosto daquele ano, mostrou que a obra fazia parte do Programa de Metas 2013-2016 e ainda não tinha sequer paredes na estrutura quando completou um dia de atraso na entrega.

Na época, a entrega da UBS foi prorrogada por mais 256 dias, a partir do dia 18 de agosto de 2016, quando a nova data passou a ser 1º de maio de 2017.

A segunda matéria saiu em maio de 2017, quando este prazo encerrou e a obra recebeu uma segunda prorrogação de mais 120 dias, terminando em 29 de agosto de 2017.

Atualmente a obra está mais evoluída – com 77, 5% de progressode acordo com a Prefeitura de São Paulo –, mas ainda parece muito distante de um acabamento e uma futura entrega.

DE OLHO NA OBRA

Os moradores ficam observando a movimentação no local. Uma delas é a auxiliar de enfermagem Ednalva de Jesus, 55, moradora da região há 28 anos.

“A obra está devagar, mas está indo, pelo menos começou de novo. Quando passo por lá vejo chegando caminhão com material. Acho um absurdo ter ficado parada todo esse tempo, enquanto as pessoas precisam de médico e não tem. Mas vamos fazer o quê? Quem está com o dinheiro são eles [governantes]”, desabafa.

O orientador socioeducativo Alexandre Roberto dos Santos, 42, conta que quem sofre com tudo isso, como sempre, é o povo. “Eu acho um grande desrespeito com a nossa comunidade que tanto precisa dessa UBS, pois a unidade da Vila Nova Galvão sofre com o contingente de usuários e não consegue atender todas as demandas”, explica.

“O atraso é igual a qualquer outra obra onde se superfatura e quem paga a conta sempre somos nós. Não importa o governo, são tudo da mesma ladainha, direita, esquerda e o povo ao centro dos partidos”, questiona José Roberto de Souza, 35, chefe de produção.

“Avistei movimentações de trabalho na construção e pensei: será que agora vai?”, completa.

Segundo números de 2017 do Mapa da Desigualdade, o distrito do Jaçanã possui 0,41 unidade básica de saúde por 10 mil habitantes e está dentro da média da cidade de São Paulo, que também é de 0,41.

De acordo com o Programa Cidades Sustentáveis, é necessário oferecer, no mínimo, uma unidade básica de saúde com Programa Saúde da Família para cada 10 mil habitantes.

VEJA TAMBÉM
Psiquiatra de UBS se aposenta e pacientes ficam sem atendimento

Em 29 de março, a assessoria de comunicação da Prefeitura de São Paulo respondeu que as obras da UBS Jova Rural seguiam em andamento com previsão de término para agosto deste ano. A reportagem entrou em contato para novas informações, mas até o momento não obteve resposta.

Também foram solicitadas à ouvidoria do SUS. A resposta enviada pela ouvidoria do distrito de saúde Santana-Jaçanã diz que, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), está prevista a conclusão da obra para dezembro de 2018.