Da noite para o dia: mudança na coleta de lixo revolta moradores da zona norte

Categorias _01_home-posicao-02, Vila Maria/Vila Guilherme, Zona NorteTags , , ,

Diretor do Conseg Vila Maria denuncia retirada do adicional noturno dos coletores como motivo da mudança; empresa nega

Sob sol forte, coletores retiram os sacos de lixos das vias (Divulgação)

Um hábito de 40 anos na região da subprefeitura de Vila Maria/ Vila Guilherme, na zona norte, foi quebrado no mês de setembro e tem gerado reclamações dos moradores. A coleta de lixo, tradicionalmente realizada às segundas, quartas e sextas-feiras, no período noturno, mudou para as terças, quintas e sábados, durante o dia.

Após a implantação da medida, uma enxurrada de críticas negativas tomou as redes sociais, o movimento cresceu e hoje circula um abaixo-assinado reivindicando a volta da coleta à noite.

A posição mais contundente é a de Beto Freire, 38, diretor do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança) Vila Maria. Para ele, a intenção da concessionária Loga, responsável pelo trabalho, é “economizar em cima do salário dos coletores”. Freire argumenta que a mudança implica na perda do adicional noturno dos trabalhadores.

“Não há outra justificativa para a medida, senão o interesse econômico. Os moradores são os clientes da empresa, não foram ouvidos, e dizem não à mudança”
Beto Freire, diretor do Conseg Vila Maria

Outros motivos da insatisfação popular são o descumprimento do horário estabelecido, divulgação falha, acúmulo de sacos de lixo nas vias e o impacto no trânsito durante o horário de pico da manhã.

Segundo moradores, a concessionária Loga, responsável pelo trabalho, não cumpre o horário de coleta estabelecido (Divulgação)

A corretora de imóveis Shirley Carille, 46, mora na região e é contra a mudança. Para ela, a concessionária Loga, responsável pelo trabalho, não cumpre o horário estabelecido.

“Avisaram pelo carro de som que a coleta seria a partir das 7 horas, mas isso não acontece. As pessoas colocam os sacos, saem para o trabalho e o lixo fica no sol por muito tempo. Sei de casos em que o caminhão passou quase às 18 horas”
Shirley Carille, corretora de imóveis

O analista financeiro Rubens Lopes, 40, lançou a ideia do abaixo-assinado e conta que quase 30 pontos comerciais recolhem as assinaturas para envio à AMLURB – Autoridade Municipal de Limpeza Urbana. Ele comenta que, na rua em que reside, o caminhão passa logo cedo para recolher o lixo, mas em outras vias vizinhas a coleta acontece só depois das três e meia da tarde. “Não há controle sobre esse trabalho”, diz.

Lopes também destaca o impacto da mudança na saúde dos trabalhadores da coleta e no transito da região. “No período diurno, o trabalho é desgastante, sob temperatura elevada e com maior circulação de carros”, alerta.

LEIA TAMBÉM
– Lixo, lazer e cultura: os grandes desafios na Vila Maria/ Vila Guilherme
– Distritos da zona norte têm 30 pontos irregulares de entulho para cada ecoponto

O jornaleiro Gilberto Pedro, 69, fez questão de participar do abaixo-assinado. Ele abre sua banca na Vila Guilherme bem cedo e diz que o caminhão não tem hora certa para passar. “Já cheguei a ver coleta, tanto às sete da manhã, como à uma hora da tarde. Como entender isso?”, pergunta.

O jornaleiro Gilberto Pedro não concorda com a mudança feita pela prefeitura (Sidney Pereira/32xSP)

Sem saber a hora exata de retirada, os moradores se defrontam com duas situações distintas. Quem não coloca o lixo logo cedo e perde a coleta, só terá o material recolhido dois dias depois. Por outro lado, outros cumprem o horário, mas o caminhão da empresa não é pontual.

Nos dois cenários, os sacos de lixo ficam expostos ao sol, exalam mau cheiro e muitas vezes são carregados pela água da chuva, aumentando o risco de entupir bueiros e causar alagamentos. Outras pessoas, com receio de não ter o material recolhido pela manhã, continuam a colocar os sacos de lixo à noite. A reportagem constatou essa situação na avenida Conceição, uma das principais da região.

Na avenida Conceição, uma das principais da região, moradores colocam o lixo à noite para não perderem a coleta do dia seguinte (Sidney Pereira/32xSP)

SEM DIÁLOGO

Em resposta ao 32xSP, a concessionária Loga nega que a decisão tenha sido econômica. A empresa justifica que as alterações foram feitas “para equilibrar a jornada de trabalho de todas as equipes, equalizando o peso coletado e o número de viagens dos veículos”.

Tudo foi feito “de forma planejada para causar o menor transtorno possível, em função da reurbanização dos bairros e das dificuldades relacionadas ao trânsito dos caminhões”, alega. Dois mil trabalhadores da empresa fazem a coleta de lixo em 23 mil vias no centro e nas zonas norte e oeste.

A concessionária não respondeu se promoveu pesquisa ou discussão prévia da medida com os moradores, mas afirma que o remanejamento da frequência de coleta será feito, em outras subprefeituras, sempre que houver necessidade e com aprovação da AMLURB.

Além de Vila Maria/ Vila Guilherme, duas outras regiões passam por alterações: Jaçanã/ Tremembé, também na zona norte, e Penha, na zona leste. Para saber a frequência e o horário de coleta em sua rua, clique aqui.

32xSP também consultou o SIEMACO, sindicato que representa os direitos dos profissionais do setor, sobre os efeitos da medida. A entidade disse “lamentar o ocorrido” e indica que a população procure a prefeitura para explicar a alteração. O sindicato também informou que está acompanhando o caso “para que nenhum coletor seja prejudicado pelas mudanças”.