Prefeitura de São Paulo apresenta plano de segurança viária

09/11/2018 15:05 | Atualizado: 27/11/2018 17:29
Reportar erro Categorias + Notícias, Mobilidade, Participação Social, SegurançaTags , ,

Programa prevê proteção ao pedestre e calcula que mais de 2 mil vidas serão salvas até 2028. População pode contribuir com sugestões em audiências públicas

Na rua Arlindo Colaço, uma das mais movimentadas de São Miguel Paulista, na zona leste, pedestres atravessam a via com o semáforo aberto para carros e motos (Eduardo Silva/32xSP)

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT), deu início a 32 audiências públicas para apresentar a proposta de um novo plano de segurança viária, o Vida Segura.

O plano norteará a execução de políticas públicas para a redução de ocorrências fatais e com vítimas no trânsito. Com sua adoção, a secretaria calcula que 2.734 vidas serão salvas até 2028. A premissa do Vida Segura é a de que nenhuma morte é aceitável no trânsito.

AUDIÊNCIAS PÚBLICAS

As audiências públicas para discutir o plano de segurança viária começaram em 30 de outubro, em Sapopemba, na zona leste. Cada uma das 32 subprefeituras sediará uma reunião, seja na própria sede da subprefeitura local ou em casas de cultura, associações comerciais e CEUs (Centros Educacionais Unificados) da região.

O plano apresentado nas audiências prevê o conceito de proteção ao pedestre e ações de melhorias viárias, como sinalização e fiscalização. Também é apresentado um panorama das ocorrências, atropelamentos e mortes de cada subprefeitura, além de um diagnóstico da cultura e comportamento em relação à segurança na mobilidade e ações que podem ser implementadas.

Todos os encontros têm espaço para que a sociedade civil possa contribuir com sugestões para aprimorar a segurança viária em seu bairro ou distrito. A versão final do Vida Segura será concluída apenas após a consolidação das contribuições da população.

ACIDENTES DE TRÂNSITO

Avenida Marechal Tito, em São Miguel Paulista (Eduardo/32xSP)

De acordo com dados da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), presentes no relatório de acidentes de trânsito fatais de 2017, as marginais Tietê e Pinheiros estão em primeiro e terceiro lugar, respectivamente, dentre as 53 avenidas com mais acidentes fatais de trânsito no município.

Outras vias com o maior número de vítimas são a avenida Senador Teotônio Vilela (2º), a estrada de Itapecerica (4º) e a avenida Dona Belmira Marin (5º). Todas estão na zona sul.

Também em 2017, de janeiro a outubro, a Capela do Socorro, na zona sul, foi o distrito da capital paulista com o maior número de registro de pessoas socorridas em prontos socorros por ferimentos em acidentes de trânsito – 1.307 ao todo. Na sequência, estão Ermelino Matarazzo, na zona leste, com 1.231 socorridos; Jabaquara, zona sul, com 1.216; e Itaim Paulista, zona leste, com 799.

Os números se referem à plataforma digital Tabnet, da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), que contabiliza a entrada de pacientes, de todas enfermidades, para fins de controle estatísticos do Sistema Único de Saúde (SUS). A pesquisa não tem acesso ao número de pessoas que deram entrada em hospitais particulares, nem de óbitos.

LEIA TAMBÉM
– Zona leste ocupa segundo lugar em socorridos por acidentes de trânsito
– Aricanduva diminui mortes no trânsito, mas vê aumentar em acidentes de carro

A subprefeitura de São Miguel Paulista, também na zona leste, amarga o primeiro lugar no ranking das regiões de São Paulo com o maior número de acidentes de trânsito com vítimas fatais. Segundo a CET, 11% dos atropelamentos são causados por ônibus, quase o dobro da proporção da cidade, que equivale a 6%.

“O maior desafio de São Miguel é melhorar o sistema viário e a segurança dos pedestres. (…) Para isso, a subprefeitura tem trabalhado no projeto Área 40, que propõe 18 intervenções no centro de São Miguel como extensão de calçadas, implantação de travessias, lombadas e redutores de velocidade”
Comentou o subprefeito de São Miguel Paulista, Edson Marques, em
entrevista ao 32xSP em março deste ano

A medida busca garantir a circulação segura de pedestres, além de implementar uma melhor sinalização em cruzamentos, vias e praças para evitar e reduzir o conflito de pedestres e ciclistas com carros, motos e demais veículos. O projeto também foi iniciado em outras regiões da cidade, como Lapa, Santana e Penha.

(IN)SEGURANÇA DE PEDESTRES E CICLISTAS

De acordo com a recente pesquisa “Viver em São Paulo – Mobilidade Urbana na Cidade”, realizada pela Rede Nossa São Paulo em parceria com o Ibope Inteligência, predomina a sensação de insegurança entre os paulistanos enquanto pedestres pela cidade. 88% dos entrevistados afirmam que se sentem “pouco seguros” ou “nada seguros” quando circulam por São Paulo a pé.

O sentimento de insegurança também ocorre com os ciclistas. Ainda de acordo com o levantamento, a segurança dos ciclistas é o ponto prioritário para que aqueles que nunca utilizam bicicleta passem a utilizá-la para circular pela cidade. 30% dos paulistanos disseram que utilizariam a bicicleta como meio de transporte caso mais medidas de segurança fossem tomadas em prol dos ciclistas.

LEIA MAIS
– Motoristas ainda não veem a bike como um meio de transporte, dizem ciclistas
– Metade da população avalia negativamente manutenção de ciclovias

O receio pelo modal se justifica: 259 mortes envolvendo bicicletas foram registradas na região metropolitana de São Paulo, entre janeiro de 2015 e julho de 2018. Os dados constam no Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo, o Infosiga. A maioria dos óbitos ocorreu em colisões entre ciclistas e automóveis. Quase 30% das mortes são de jovens com menos de 24 anos.

PRÓXIMAS AUDIÊNCIAS

Audiências públicas sobre o plano de segurança viária da Prefeitura de São Paulo ocorrem até 18 de dezembro (Eduardo Silva/32xSP)

As subprefeituras de Sapopemba, Cidade Ademar, Butantã, Ermelino Matarazzo, Capela do Socorro, Cidade Tiradentes, Freguesia do Ó, Guaianases e Ipiranga já realizaram audiências públicas para apresentação da proposta do plano Vida Segura. Os próximos encontros acontecem entre os dias 12 de novembro e 18 de dezembro, às 19h ou 19h30. Confira abaixo!

12/11, às 19h
Itaim Paulista (Subprefeitura Itaim Paulista – Avenida Marechal Tito, 3.012)
– Santo Amaro (Subprefeitura Santo Amaro – Praça Floriano Peixoto, 54)

13/11, às 19h
– M’ Boi Mirim (Subprefeitura M’Boi Mirim – Avenida Guarapiranga, 1695)

21/11, às 19h
– São Miguel Paulista (Subprefeitura São Miguel Paulista – Rua Dona Ana Flora Pinheiro de Souza, 76)

21/11, às 19h30
– Parelheiros (CEU Parelheiros – Rua José Pedro de Borba, 20)

22/11, às 19h
– Vila Mariana (Senai Anchieta – Rua Gandavo, 550)
– Vila Prudente (Subprefeitura Vila Prudente – Avenida do Oratório, 172)

26/11, às 19h
– Mooca (Subprefeitura Mooca – Rua Taquari, 549)

27/11, às 19h
– Pinheiros (Subprefeitura Pinheiros – Avenida Nações Unidas, 7.123)

28/11, às 19h
– Santana/Tucuruvi (Subprefeitura Santana/Tucuruvi – Avenida Tucuruvi, 808)
– São Mateus (Subprefeitura São Mateus – Avenida Rageb Choffi, 1.400)

29/11, às 19h
– Sé (Subprefeitura Sé – Rua Álvares Penteado, 49)

29/11, às 19h30
– Jabaquara (Subprefeitura Jabaquara – Avenida Eng. Armando de Arruda Pereira, 2.314)

03/12, às 19h
– Campo Limpo (CEU Campo Limpo – Avenida Carlos Lacerda, 704)
– Penha (Subprefeitura Penha – Rua Candapuí, 492)

05/12, às 19h
– Itaquera (Subprefeitura Itaquera – Rua Augusto Carlos Bauman, 851)

10/12, às 19h
– Jaçanã/Tremembé (Subprefeitura Jaçanã/Tremembé – Avenida Luis Stamatis, 300)

11/12, às 19h
–  Perus (Subprefeitura Perus – Rua Ylídio Figueiredo, 349)
– Aricanduva (Subprefeitura Aricanduva – Rua Atucuri, 699)

12/12, às 19h
– Pirituba (Associação Comercial – Distrital Noroeste, Rua Luis Braile, 08)

13/12, às 19h
– Vila Maria/Vila Guilherme (Subprefeitura Vila Maria/Vila Guilherme – Rua General Mendes, 111)

17/12, às 19h
–  Lapa (Subprefeitura Lapa – Rua Guaicurus, 1.000)

18/12, às 19h
– Casa Verde (Subprefeitura Casa Verde – Avenida Ordem e Progresso, 1.001)

(As datas podem sofrer alterações. Confira, também, no site da Prefeitura de São Paulo).