Plano de Metas 2019-2020 para SP: o que você perdeu?

18/04/2019 13:21 | Atualizado: 08/05/2019 15:27
Reportar erro Categorias + Notícias, Acessibilidade, Educação, Habitação, Lazer, Meio Ambiente, Mobilidade, São Paulo, Saúde, Segurança, Transporte público, ZeladoriaTags

Dos 53 compromissos prometidos pelo ex-prefeito João Doria, 18 foram mantidos integralmente, 28 alterados e sete retirados. Foram incluídas 25 novas metas

Novo plano de metas da Prefeitura de SP tem grande foco em ações de zeladoria e limpeza (Eduardo Silva/32xSP)

A Prefeitura de São Paulo anunciou, no último dia 8, uma revisão do plano de metas para o período de 2019-2020. Com orçamento definido no valor de R$ 15,3 bilhões, o documento traz, ao todo, 71 metas.

Dos 53 objetivos anteriormente definidos em 2017 pelo ex-prefeito João Doria (PSDB), atual governador do Estado, 18 foram mantidos integralmente. Outros 28 foram alterados e sete, que já haviam sido concluídos, retirados. Também foram incluídas 25 novas metas.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) atribuiu a revisão a mudanças na economia nos últimos dois anos e disse que foi necessário reajustar o programa à nova realidade econômica.

“A expectativa econômica no primeiro trimestre de 2017 era uma, por conta de uma possível aprovação da reforça da previdência. Essa reforma não foi aprovada, a expectativa de crescimento não se realizou, e nós tivemos uma frustração do comportamento do PIB em 2017 e 2018 em relação ao que se projetava”, justificou.

O QUE MUDA?

Entre as principais mudanças, destacam-se o aumento de orçamento para obras de zeladoria urbana (de R$ 500 milhões para R$ 1,5 bilhão) e o corte na ampliação de corredores de ônibus — apenas 9,4 km de faixas exclusivas dos 72 km prometidos pelo programa de Doria.

As áreas de saúde e educação preveem investimento de R$ 747 milhões em novos equipamentos. Para essas áreas, a Prefeitura promete entregar duas Unidades Básicas de Saúde, 12 UPAs e 12 CEUs.

Também é esperado equipar o Hospital Municipal de Parelheiros, na zona sul, e construir o Hospital Municipal da Brasilândia, na zona norte. As duas obras já foram retratadas anteriormente pelo 32xSP.

Em contrapartida, outros compromissos prometidos pela gestão anterior foram excluídos ou tiveram seus valores modificados, como a redução do tempo médio de atendimento às solicitações no SP156, de 90 dias para 70 dias, e a construção de 25 mil unidades habitacionais.

Confira abaixo algumas das principais metas retiradas ou alteradas no Plano de Metas 2019-2020 da Prefeitura de São Paulo. Para conferir a lista completa, acesse o link:

VEJA A LISTA COM TODAS AS 71 METAS

METAS RETIRADAS:

ZELADORIA
Reduzir de 90 para 70 dias o tempo médio de atendimento dos cinco principais serviços solicitados às subprefeituras, em relação aos últimos quatro anos.

INOVAÇÃO
100% (46) dos CEUs transformados em polos de inovação em tecnologias educacionais e práticas pedagógicas.

SAÚDE
Aumentar a cobertura da atenção primária à saúde para 70% na cidade de São Paulo.

INFRAESTRUTURA
Valorização do Centro com intervenções urbanísticas visando a requalificação e revitalização de espaços livres e passeios públicos em 145 mil m².

MEIO-AMBIENTE
Reduzir em 500 mil toneladas o total dos resíduos enviados a aterros municipais no período de 4 anos, em comparação ao total do período 2013-2016 (alcançado até dezembro/2018).

SEGURANÇA
Contribuir para a redução dos crimes de oportunidade em 10% (42.901) na cidade de São Paulo (alcançado até dezembro/2018).

TRABALHO
Gerar oportunidades de inclusão produtiva, por meio das ações de qualificação profissional, intermediação de mão de obra e empreendedorismo, para 70 mil pessoas que vivem em situação de pobreza, especialmente para a população em situação de rua (alcançado até dezembro/2018).

METAS ALTERADAS:

PRIMEIRA INFÂNCIA
Antes: Expandir em 30% (85,5 mil) as matrículas em creche na rede municipal de ensino.
Plano atual (2019-2020): Ampliar 35.157 vagas em creches.

MOBILIDADE
Antes: 72 km de corredores.
Plano atual (2019-2020): Implantar 9,4 km de novos corredores de ônibus.

SAÚDE
Antes: Criar 2 mil novas vagas para atendimento humanizado em saúde e assistência social especificamente para pessoas em situação de uso abusivo de álcool e outras drogas.
Plano atual (2019-2020): Criar 600 novas vagas para atendimento humanizado em saúde e assistência social especificamente para pessoas em situação de uso abusivo de álcool e outras drogas.

GESTÃO
Antes: Implantar o padrão Poupatempo em todas as 32 subprefeituras.
Plano atual (2019-2020): Implantar sete novas unidades municipais de atendimento presencial com padrão Poupatempo.

HABITAÇÃO
Antes: 27.500 famílias beneficiadas com urbanização integrada em assentamentos precários.
Plano atual (2019-2020): Beneficiar 10 mil famílias com obras de urbanização em assentamentos precários.

Antes: 25 mil unidades habitacionais entregues para atendimento via aquisição ou via locação social.
Plano atual (2019-2020): Entregar 21 mil unidades habitacionais.

Antes: 210 mil famílias beneficiadas por procedimentos de regularização fundiária.
Plano atual (2019-2020): Beneficiar 160 mil famílias por procedimentos de regularização fundiária.

ZELADORIA
Antes: Reduzir em 15% (3,4 km²) as áreas inundáveis da cidade.
Plano atual (2019-2020): Reduzir em 12,6% (2,77 km²) as áreas inundáveis.

MEIO AMBIENTE
Antes: Plantar 200 mil árvores no município, com prioridade para as 10 subprefeituras com menor cobertura vegetal.
Plano atual (2019-2020): Plantar 50 mil mudas de árvore no município em 2019 e 2020.

Antes: Reduzir em 15% (156.649 ton) a emissão de CO2, em 50% (37 ton) a emissão de material particulado e em 40% (1.999 ton) a emissão de NOx pela frota de ônibus municipais até 2020.
Plano atual (2019-2020): Reduzir emissões em 131.000 toneladas de CO2 equivalente.

ACESSIBILIDADE
Antes: Melhorar as condições de acessibilidade em 200 equipamentos públicos existentes.
Plano atual (2019-2020): Melhorar as condições de acessibilidade em 175 equipamentos públicos.

VEJA TAMBÉM:
Das 53 metas do governo de Doria, 20 foram iniciadas e 4 cumpridas

O QUE É O PLANO DE METAS?

O Programa de Metas, implantado por lei desde 2008, é o instrumento que organiza, de forma clara e transparente, as prioridades da Prefeitura nos quatro anos de mandato, conforme exigido pela Lei Orgânica do Município.

Nele, as prioridades da Prefeitura de São Paulo são traduzidas em metas, projetos, ações estratégicas e indicadores para cada órgão municipal.

O Plano de Metas 2017-2020, publicado no início da gestão Doria, foi feito com base em mais de 20 mil sugestões dos paulistanos e submetido a pelo menos 30 audiências públicas até ser aprovado.

***

Tapa-buraco lidera pedidos em SP; poda de árvore tem maior nº de queixas