População pode acionar a Prefeitura para ajudar pessoas na rua em dias frios

07/05/2020 17:38 | Atualizado: 26/05/2020 18:49
Reportar erro Categorias + Notícias, Assistência SocialTags , , , ,

Operação Baixas Temperaturas, da Prefeitura de São Paulo, pode ser solicitada pela central SP156 sempre que os termômetros atingirem 13ºC ou menos

Operação ocorre no período de 06 de maio a 20 de setembro de 2020 (Magno Borges/32xSP)

Com a queda nos termômetros na cidade de São Paulo, a Prefeitura intensificou a Operação Baixas Temperaturas, que é destinada a atender e acolher as pessoas em situação de rua nos dias frios. As ações ocorrem no período de 06 de maio a 20 de setembro de 2020, sempre que os termômetros atingirem um patamar igual ou inferior a 13°C.

COMO AJUDAR?

A população pode ajudar a operação ligando para a central SP156. Informe o endereço da via onde a pessoa está e faça uma descrição dela (características físicas e detalhes das vestimentas) e do local onde foi avistada. O atendimento funciona 24 horas por dia.

COMO FUNCIONA?

Centro Temporário de Acolhimento (CTA) Aricanduva, na zona leste (Eduardo Silva/32xSP)

Agentes da Prefeitura de São Paulo abordam a pessoa em situação de rua, oferecendo o encaminhamento para uma das 17,2 mil vagas nos 89 centros de acolhida espalhados pela cidade. Ela tem a opção de aceitar, ou não, o acolhimento.

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), o indivíduo assistido é encaminhado preferencialmente para o serviço mais próximo de onde mantém vínculo. Caso os locais mais próximos estejam com lotação máxima, é feito o encaminhamento para outros centros.

VEJA TAMBÉM:
– Moradores em situação de rua podem ser atendidos pelo SUS
– ‘O pior momento nas ruas são todos’, diz ex-morador de rua da Cidade Tiradentes

A pasta também informa que existem seis novos centros em caráter emergencial, providenciados para garantir o distanciamento seguro entre os conviventes devido à pandemia do novo coronavírus.

Os equipamentos totalizam 536 vagas e ficam na região da Sé, Santo Amaro, Mooca, Santana, Guianases e Luz.

De acordo com o censo da população em situação de rua, de 2019, são pelo menos 24 mil pessoas nesta condição na cidade.