Em SP, 6 em cada 10 moradores perderam renda por causa da pandemia

11/09/2020 15:46 | Atualizado: 11/09/2020 15:51
Reportar erro Categorias + Notícias, Educação, São PauloTags , , , , ,

Pesquisa mostra o impacto do coronavírus e do isolamento social na vida (e no bolso) dos paulistanos nos últimos 30 dias

Jornada de trabalho também foi reduzida, apontam entrevistados (Magno Borges/32xSP)

Nos últimos 30 dias, seis em cada 10 paulistanos (59%) tiveram perdas na renda pessoal – total ou parcialmente – por causa da pandemia e do isolamento social. Os dados são da pesquisa Viver em São Paulo: Especial Pandemia – Parte 4, divulgada nesta semana pela Rede Nossa São Paulo e o Ibope.

Desse total, 18% das pessoas afirmam que a renda ‘diminuiu um pouco’ neste período, 29% dizem que ‘diminuiu muito’ e 12% perderam completamente a renda. Em compensação, 4% delas relatam que tiveram aumento nos rendimentos e, para 32%, a questão financeira continua igual.

O levantamento entrevistou 800 moradores da capital paulista com 16 anos ou mais das classes A, B e C, mas considerou apenas quem já tinha renda antes da quarentena e das medidas de proteção ao coronavírus. As respostas foram coletadas de forma online.

Moradores formam fila para sacar o auxílio emergencial de R$ 600 em agência da Caixa (Léu Britto/32xSP)

VEJA TAMBÉM:
– 4 em cada 10 paulistanos acham que frota de ônibus deveria aumentar na pandemia
– Com pandemia, paulistanos dizem que SP precisa investir em reduzir desigualdades

Já em relação à rotina, 46% dos paulistanos consultados tiveram redução na jornada de trabalho e 7% foram demitidos. Além disso, 48% também afirmam que a quantidade de trabalho nos últimos 30 dias diminuiu.

EDUCAÇÃO

Outro ponto de destaque nesta edição da pesquisa se refere à volta das aulas presenciais nas creches e escolas da cidade de São Paulo. 81% dos paulistanos consideram inadequado o retorno dos estudantes ainda neste ano, contra 15% que acham a retomada adequada.

Entre os principais motivos contrários à retomada, estão: “não vale a pena arriscar a saúde dos estudantes, professores e outros profissionais da área”, com 28% das menções, e “não acredito que conseguirão manter o distanciamento social entre as crianças pequenas”, com 23%.

Além disso, para 89% dos pais ou responsáveis por crianças e/ou adolescentes, o risco de contaminação pelo coronavírus na família vai aumentar com esse retorno.

Na parte 3 da pesquisa, divulgada em agosto desse ano, 63% dos entrevistados eram contrários à volta das aulas presenciais, ante 26% que eram a favor e outros 11% que estavam indiferentes em relação ao assunto.

CONFIRA:
Câmara de São Paulo aprova PL da volta às aulas; 63% dos paulistanos são contra

Crianças se protegem do coronavírus na zona norte de São Paulo (Léu Britto/32xSP)

OUTROS TEMAS

Também de acordo com o levantamento da Rede Nossa São Paulo e Ibope, 91% dos paulistanos concordam (totalmente ou em parte) que o investimento em ciência é importante para melhorar, no futuro, as respostas da sociedade a crises como a atual.

89% também acreditam que a cultura e o entretenimento são grandes aliados para manter a saúde mental na pandemia, e 42% acham que a pandemia vai prejudicar a campanha eleitoral deste ano, tornando mais difícil o processo de escolher um candidato para prefeito.

Clique aqui para receber a pesquisa em seu e-mail