Crise da Covid-19 pauta as principais propostas na audiência em Santana/Tucuruvi

27/04/2021 17:21 | Atualizado: 27/04/2021 18:56
Reportar erro Categorias + Notícias, Habitação, Meio Ambiente, Mobilidade, Participação Social, Política, Santana/Tucuruvi, São Paulo, Saúde, Transporte público, Zona NorteTags , , , , , , , ,

Impactos na habitação, mobilidade urbana e problema de enchentes na região estavam entre os assuntos na plenária do Programa de Metas

A audiência pública da versão inicial do Programa de Metas 2021-2024 na Subprefeitura de Santana/Tucuruvi, na zona norte, foi realizada na noite de sexta-feira (16) com várias referências à pandemia da Covid-19.

O evento, com 1h45 de duração, teve transmissão online e foi acompanhado por cerca de 80 pessoas, via canal no YouTube e aplicativo Microsoft Teams. Dos 29 inscritos para falar, nove apresentaram sugestões. 

Cerca de 80 pessoas participaram da audiência pública de Santana/Tucuruvi (Sidney Pereira/Reprodução)

Os representantes da Prefeitura de São Paulo foram os secretários de Inovação e Tecnologia, Juan Quirós, que coordenou os trabalhos; da Fazenda, Guilherme Bueno; de Mobilidade e Transportes, Levi Oliveira, além do subprefeito Dário Barreto, empossado no dia 19 de março e que comandou a regional de Vila Maria/Vila Guilherme por mais de três anos.

CRISE DA COVID-19

A crise sanitária atual foi citada na maioria das propostas dos participantes. Susana Basualdo, do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, ressaltou que, com a pandemia, “ficou ainda mais grave a situação de fome da população”. 

Ela avaliou que a meta geral de beneficiar 1,5 milhão de famílias em programas sociais deveria ser desmembrada e informada qual a quantidade para cada iniciativa municipal, bem como a base usada para estabelecer os quantitativos. 

A conselheira também considerou insuficiente o número de hortas urbanas previstas no plano: 400. “Embora pouco, é necessário ter equipes técnicas para alavancar a produção para alimentação”, lembrou.

Já o conselheiro gestor de Saúde da região norte, Humberto Mérola, pediu a ampliação do horário das AMAs (Assistência Médica Ambulatorial) de 12h para 24h, especialmente a Wamberto Dias da Costa e Lauzane Paulista. 

Mérola reivindicou a criação de uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) na área da subprefeitura. “É para atender a enorme demanda local pelo serviço de saúde”,  explicou.

HABITAÇÃO E MOBILIDADE

Irani Dias, da União de Mulheres da Zona Norte e Associação de Luta por Moradias Estrela da Manhã, reclamou da morosidade do sistema habitacional, piorada pela situação na saúde.  

Ela também criticou a metodologia da audiência e pediu a divulgação dos dados regionais. Sobre habitação popular, sugeriu que a prefeitura priorizasse a indicação de famílias da região para as unidades de interesse social.

“Não tragam pessoas de outros locais da cidade para as moradias populares de nosso território”, ressaltou.   

CONFIRA:
Em Santana/Tucuruvi, faltam piscinões para combater alagamentos
Dobra preconceito no trabalho contra mulheres da zona norte de SP

Morador do Mandaqui, Thiago Silva propôs a criação de faixas exclusivas de ônibus na Rua Voluntários da Pátria e na Avenida Conselheiro Moreira de Barros. Segundo ele, a implantação “melhoraria a velocidade das linhas e o fluxo do trânsito”. 

O terminal de ônibus de Santana é o principal da zona norte de São Paulo (Sidney Pereira/32xSP)

Ele ainda destacou a falta de espaço para os ônibus no Terminal Santana e sugeriu a transferência de linhas para outras estações do metrô. O problema da superlotação desse terminal já foi relatado em recente reportagem do 32xSP.

ENCHENTES

O prejuízo causado pelas enchentes na região norte foi lembrado pelo participante João Santo, que revelou acompanhar a questão “desde o final da década de 1950”. 

Segundo o morador, o transbordamento do córrego Vila Aurora afeta quatro bairros: Vila Aurora, Água Fria, Jardim França e Mandaqui, todos na zona norte

“É necessária a limpeza urgente do córrego e a construção de um piscinão no local”, afirmou. O registro de inundações na subprefeitura foi o principal assunto  do quadro Giro pelas 32, produzido pelo 32xSP em parceria com a Rádio CBN. 

IMIGRANTES 

Em entrevista ao 32xSP, Teddy Espinoza, um dos participantes que não foi sorteado para falar na audiência, lamentou a ausência de políticas públicas para os imigrantes no plano. Este tema não foi abordado ao vivo. 

Ele é conselheiro do CADES (Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) de Santana/Tucuruvi e tem dupla nacionalidade, boliviana e brasileira. 

“São Paulo recebe muitos latinos, africanos e haitianos e eles estão esquecidos, principalmente neste período de pandemia”, afirmou. 

Espinoza também não aprovou o programa apresentado pela prefeitura. “As propostas foram muito gerais, vagas, já deveriam ser regionalizadas, para cada subprefeitura”, opinou. Para ele, o cidadão fica “desconfiado” e sem saber o que efetivamente virá para a sua região.

Ainda é possível participar da construção do Programa  de Metas de São Paulo. Até o dia 2 de maio, a prefeitura recebe sugestões pelo site Participe Mais, basta identificar o tema e a subprefeitura. A votação popular das propostas será de 17 de junho a 2 de julho.

A subprefeitura Santana / Tucuruvi tem três distritos e 325 mil moradores (Sidney Pereira/32xSP)

SUBPREFEITURA SANTANA/TUCURUVI

Cercada pelo verde da Serra da Cantareira, a região da subprefeitura cresceu no entorno das estações do extinto trem da Cantareira, depois substituído parcialmente pela linha 1-Azul do metrô. 

Em uma área de 34,70 km², os três distritos locais Mandaqui, Santana e Tucuruvi têm 325 mil habitantes. Santana é o principal polo econômico e de serviços da zona norte, abrigando o Campo de Marte, Centro de Eventos e Sambódromo Anhembi e o Terminal Rodoviário Tietê, além de quatro estações de metrô (Portuguesa-Tietê, Carandiru, Santana e Jardim São Paulo-Ayrton Senna).

↳ Veja mais conteúdos do 32xSP sobre o Programa de Metas em São Paulo