Fab Lab: conheça a rede gratuita de laboratórios em SP para fabricar robôs e até esculturas

01/10/2021 15:30
Reportar erro Categorias + Notícias, Centro, São Paulo, Sem categoria, Tecnologia, Zona Leste, Zona Norte, Zona Oeste, Zona SulTags , ,

Ao todo são 13 laboratórios disponíveis que abrangem todas as regiões da cidade

Você sabia que em São Paulo existe uma rede pública de laboratórios de fabricação digital? Chamada de Fab Lab Livre SP, essa rede é inspirada na filosofia da “cultura maker”, que significa, em outras palavras: “faça você mesmo”. 

O local ainda estimula o compartilhamento de informações e conhecimento em tecnologia, ciência, arte e inovação. Por lá, é possível construir esculturas, robôs e peças para os mais variados fins. 

Os laboratórios podem ser acessados gratuitamente por qualquer pessoa que queira utilizar as ferramentas tecnológicas de fabricação disponíveis, seja para desenvolver projetos pessoais e profissionais ou coletivos.

Fab Lab no Centro Cultural da Juventude, na zona norte (Divulgação)

Nos Fab Labs têm impressoras 3D, cortadoras a laser, máquinas de costura, plotter de recorte, fresadores, computadores com software de desenho digital CAD, equipamentos de eletrônica e robótica, além de ferramentas de marcenaria e mecânica. 

A rede de laboratórios oferece ainda cursos, oficinas e palestras que atendem diferentes partes do processo de fabricação, que vai desde a ideia e como colocá-la em prática, até a produção do objeto idealizado. 

Os primeiros laboratórios foram instalados em setembro de 2015 por meio de uma parceria entre a SMIT (Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia) da Prefeitura de São Paulo e o Instituto de Tecnologia Social- ITS Brasil. Seu uso está regulamentado na Portaria Coordenadoria de Inclusão Digital n° 001/2020.  

Hoje, ao todo são 13 Fab Labs espalhados pela cidade, dentro de centros culturais, CEUs  (Centros Educacionais Unificados) e galerias, abrangendo todas as regiões do município (endereços completos dos laboratórios no fim da reportagem). 

NA PRÁTICA

Para ter acesso aos equipamentos e maquinários de qualquer unidade da rede é preciso realizar agendamento prévio, pois depende da disponibilidade de cada laboratório. 

Durante a utilização, que tem o tempo estimado em três horas, o frequentador da rede conta com o apoio técnico e orientação da equipe do laboratório. No entanto, é o próprio usuário quem fica a frente do desenvolvimento de seu projeto — se recomenda que ele seja inscrito neste link

CURSOS

A programação do cursos do Fab Lab Livre SP é estruturada em curta (quatro horas), média (16 horas) e longa duração (96 horas). Os temas abordados são relacionados a práticas criativas, desenho digital, tecnologias de fabricação digital, eletrônica, marcenaria e áreas similares. 

Todos os treinamentos contam com certificado de participação. Para participar de cursos e  oficinas, a idade mínima permitida é 12 anos. 

Ao longo desses anos de atuação, diferentes projetos já passaram pelos Fab Labs, com temas sobre acessibilidade, sustentabilidade, transportes, robótica, jogos e brinquedos educativos, entre outros. Todos estão disponíveis no site da rede, em Repositório de Projetos. 

Projetos criados nos Fab Labs (Fernando Pereira/SECOM)

BENEFÍCIOS AOS USUÁRIOS

A empreendedora Cláudia Olívia Matos, 45, define o Fab Lab como “um local precioso e de grande valia para pessoas de várias idades”. 

Moradora de São Miguel Paulista, zona leste da capital, ela frequenta a rede de laboratórios desde 2017, quando conheceu o serviço durante uma feira do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), no Anhembi. 

“Nunca tinha ouvido falar sobre, não sabia nada a respeito. Após conhecer na teoria, fui à Galeria Olido [no centro] conhecer o espaço. Então, fiz uso de equipamentos e produzi peças de madeira para o meu trabalho”, recorda. 

Desde então, a empreendedora percebeu que poderia usufruir o serviço ofertado pela rede em diferentes unidades, tanto para usar os maquinários, quanto para participar de  cursos e, assim, agregar ao seu trabalho. 

“Fiz curso de peças de resina no Fab Lab do Jockey Club [na zona oeste], curso de marcenaria e silicone no CEU Três Pontes [zona leste], curso de resina no de Itaquera [também na zona leste], entre outros”, lista Cláudia. 

LEIA MAIS:
Centros Esportivos Municipais com atividades gratuitas: onde ficam 
Como funciona o ‘passaporte da vacina’ em São Paulo

Há três anos, Cláudia criou a marca @oliviapalitobottons, que produz itens personalizados para mulheres. Segundo ela, ainda usa as ferramentas que conheceus durante os cursos e oficinas. Um exemplo é o Inkscape, software livre de editoração. 

“No meu dia a dia uso o Inkscape para melhorar a nitidez das imagens de clientes para a confecção de bottons”, explica. 

É importante ressaltar que, dependendo do tipo de projeto, o usuário precisa levar seu próprio material — conforme consta no item 4 das regras e orientações de uso dos equipamentos da rede.  

O SERVIÇO NA PANDEMIA

Por conta da pandemia, até julho de 2021 os 13 laboratórios da rede permaneceram fechados, sem atendimento presencial do público. 

Ao longo desse período, o contato com o público se deu pelas redes sociais, onde foram compartilhados tutoriais abrangendo diferentes temas. São conteúdos da programação #FazendoEmCasa. 

Foram também oferecidos cursos e oficinas em modo remoto. A agenda completa segue disponível no site do Fab Lab.

Desde o dia 6 de julho, os atendimentos presenciais estão sendo retomados de modo gradual. Até o momento, 12 unidades voltaram a agendar o uso de máquinas e orientação de projetos. Em 24 de agosto, os horários para o atendimento, que estavam reduzidos, foram ampliados. 

COMO AGENDAR?

O processo de agendamento para uso presencial deve ser feito via Portal SP 156 ou pela central telefônica 156. O atendimento só ocorrerá mediante agendamento. 

Em ambos os canais é preciso realizar um cadastro, com nome, CPF e senha, e informar data, horário e unidade do Fab Lab que deseja comparecer.  

Confira os endereços das unidades do Fab Lab Livre SP e os horários de funcionando:

Casa de Memória de Itaquera (zona leste)
Rua Antônio Carlos de Oliveira Cesar, 97
Atendimento: segunda a sexta das 9h às 18h, e sábado das 9h às 13h
Email: [email protected] 

Centro Cultural Cidade Tiradentes  (zona leste)
Avenida Inácio Monteiro, 6.900
Atendimento: segunda a sexta das 9h às 18h, e sábado das 9h às 13h
Email: [email protected] 

Centro Cultural da Juventude (zona norte)
Avenida Deputado Emílio Carlos, 3.641
Atendimento: terça a sexta das 11h às 15h, e sábado das 11h às 14h
Email: [email protected] 

Centro Cultural da Penha (zona leste)
Largo do Rosário, 20
Atendimento: terça a sexta das 10h às 19h, e sábado das 10h às 14h
Email: [email protected] 

Centro Cultural São Paulo (zona sul)
Rua Vergueiro, 1.000
Atendimento: terça a sexta das 10h às 19h, e sábado das 10h às 14h
Email: [email protected] 

Centro de Convivência de Heliópolis (zona sul)
Estrada das Lágrimas, 2.385
Atendimento: segunda a sexta das 9h às 18h, e sábado das 9h às 13h
Email: [email protected] 

CEU Anhanguera (zona norte)
Rua Pedro José de Lima, 1.020
Atendimento: segunda a sexta das 9h às 18h, e sábado das 9h às 13h
Email: [email protected] 

CEU Três Pontes (zona leste)
Rua Capachós, 400
Atendimento:  segunda a sexta das 9h às 18h, e sábado das 9h às 13h
Email: [email protected] 

CEU Vila Rubi (zona sul)
Rua Domingos Tarroso, 101
Atendimento:  segunda a sexta das 9h às 18h, e sábado das 9h às 13h
Email: [email protected] 

Chácara do Jockey Club (zona oeste)
Rua Santa Crescência, 323
Atendimento:  segunda a sexta das 9h às 18h, e sábado das 9h às 13h
Email: [email protected]

Galeria Olido (centro)
Avenida São João, 473
Atendimento:  segunda a sexta das 9h às 18h, e sábado das 9h às 13h
Email: [email protected] 

Vila Itororó (centro)
Rua Pedroso, 238
Atendimento:  segunda a sexta das 10h às 19h, e sábado das 10h às 14h
Email: [email protected] 

São Joaquim – Guarapiranga (zona sul)
Rua Bacabinha, 280
Atendimento: não retomou
Email: [email protected]