Moradores de Paraisópolis cobram presença de Doria e retomada de urbanização

Moradores e lideranças de Paraisópolis, a segunda maior favela de São Paulo, na zona sul da capital, têm usado o principal slogan do programa da gestão João Doria (PSDB) para pedir por uma “Paraisópolis Linda”. Eles cobram a retomada das obras de urbanização, que incluem a construção de moradias populares e o saneamento básico, interrompidas em meados de 2013.

Vila Andrade é o distrito com menos casos de mortes por doenças respiratórias em SP

Janaína Mariano sempre foi a “rainha dos ‘ites’”. Quando não era bronquite, era sinusite ou renite. O posto foi herdado devido às suas condições de moradia em Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, sempre em casas fechadas e com pouca ventilação. Aos 29 anos, ela já é uma antiga frequentadora dos postos de saúde locais para tratar os problemas respiratórios. “Na minha casa só tinha uma janela e as paredes emboloravam, o que ajudava a pior as doenças”, conta a desempregada.

A mais populosa, Campo Limpo também lidera quantidade de favelas de SP

Composta pelos distritos de Campo Limpo, Vila Andrade e Capão Redondo, vivem na Subprefeitura do Campo Limpo cerca de 650 mil paulistanos

Das oito subprefeituras com maior número de casas em favelas, 5 estão na zona sul

Maria Tereza Santana, 48, há alguns anos convive com um futuro incerto. Moradora de Paraisópolis, na zona sul da capital, sua casa de três cômodos está com os dias contados. Ou estava. “Há anos ouço dizer que vou sair daqui, que é área de risco”, afirma a auxiliar de limpeza. A casa de Tereza é…